PIB do Brasil cresce 1,2% no 1º trimestre e volta ao patamar pré-pandemia, informa IBGE

Em valores correntes, o PIB chegou a R$ 2,048 trilhões

Equipe TradeMap
Equipe TradeMap
Compartilhar no twitter
Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no email
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp

No primeiro trimestre de 2021, o Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro registrou um avanço de 1,2% em comparação aos últimos três meses do ano passado, informou o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) nesta terça-feira (1º).

Os analistas consultados pela Refinitiv esperavam que a economia brasileira reportasse um crescimento de 1% no comparativo trimestral.





Com isso, esse é o terceiro resultado positivo, depois das retrações durante o primeiro e segundo trimestres de 2020, de -2,2% e -9,2%, respectivamente.

Em valores correntes, o PIB, que é a soma dos bens e serviços produzidos no país, chegou a R$ 2,048 trilhões.

Segundo o IBGE, com o resultado do 1º trimestre, a economia voltou ao patamar do quarto trimestre de 2019, período pré-pandemia, mas ainda está 3,1% abaixo do ponto mais alto da atividade econômica do Brasil, alcançado nos três primeiros meses de 2014.

Leia também:   Avanço do PIB do G-20 desacelera e Brasil tem um dos piores resultados no 2T21

Setores

A entidade aponta que a expansão da economia brasileira veio dos resultados positivos na agropecuária (5,7%), na indústria (0,7%) e nos serviços (0,4%).

“Mesmo com a segunda onda da pandemia de Covid-19, o PIB cresceu no primeiro trimestre, já que, diferente do ano passado, não houve tantas restrições que impediram o funcionamento das atividades econômicas no país”, disse a coordenadora de Contas Nacionais do IBGE, Rebeca Palis, em nota.

No grupo de agropecuária, a alta foi puxada pela melhora na produtividade e no desempenho de alguns produtos, sobretudo, a soja, que tem maior peso na lavoura brasileira e previsão de safra recorde este ano.





Enquanto isso, na atividade industrial, o avanço veio das indústrias extrativas (3,2%). Também cresceram a construção (2,1%) e a atividade de eletricidade e gás, água, esgoto, atividades de gestão de resíduos (0,9%). O único resultado negativo foi das indústrias de transformação (-0,5%).

Leia também:   Alíquotas do IOF sobem a partir de 20 de setembro

“Todos os subsetores da indústria cresceram, menos a indústria de transformação, que tem o maior peso, impactada pela indústria alimentícia, que afetou o consumo das famílias”, ressalta a coordenadora.

Ano a ano

Na comparação anual, o PIB cresceu 1,0% no primeiro trimestre deste ano, com expansão de 5,2% na agropecuária e de 3,0% na indústria. Já os serviços recuaram 0,8%.

“As atividades de outros serviços, que são majoritariamente presenciais, e administração pública puxaram o resultado dos serviços para baixo. Esse é um setor que ainda sofre os efeitos da pandemia”, afirmou Palis.

Para ler o relatório completo do Sistema de Contas Nacionais Trimestrais do IBGE, acesse aqui.

Foto: Agência Brasil

Compartilhe:

Compartilhar no twitter
Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no email
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp

Compartilhe:

Compartilhar no twitter
Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no email
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Baixe o App Footer Post
Baixe o App Footer Post 0003 Carteira

Carteira consolidada

Baixe o App Footer Post 0002 historico de Dividendos

Histórico de dividendos

Baixe o App Footer Post 0001 Acompanhamento

Acompanhamento em tempo real

Baixe o App Footer Post 0000 IBOV

Comparação com IBOV, CDI, Dólar e mais

Mais 1000 vagas Liberadas! 🤩

Banner Popup 2