Pedidos de seguro-desemprego nos EUA caem para 385 mil

É a primeira vez que os números ficam abaixo de 400 mil, na quinta semana consecutiva de queda.

Equipe TradeMap

Equipe TradeMap

Compartilhar no twitter
Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no email
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp

Os pedidos de seguro-desemprego dos Estados Unidos caíram para menos de 400 mil pela primeira vez desde que começou a pandemia de coronavírus. Na semana encerrada em 29 de maio, as solicitações diminuíram em 20 mil, totalizando 385 mil pedidos, de acordo com dados divulgados nesta quinta-feira, 03, pelo Departamento de Trabalho do país.

A estimativa dos economistas ouvidos pela Bloomberg era de 387 mil pedidos para o período, o que quer dizer que os números vieram muito próximos do esperado. 





Enquanto isso, os dados da semana anterior diminuíram ainda mais após revisão, saindo de 406 mil para 405 mil pedidos, com os estados de Texas, Flórida e Oregon liderando as maiores quedas do período. 

As solicitações se aproximam aos poucos da faixa de 200 mil a 250 mil, considerada consistente com um mercado de trabalho americano saudável. O declínio nas reivindicações apresentado marca a quinta semana consecutiva em que os novos registros caíram, saindo de 590 mil na semana encerrada em 24 de abril para 385 mil agora, uma queda de 35%.

A média móvel de quatro semanas, que apresenta um valor menos volátil do que os números semanais, caiu para 428 mil. 

Criação de empregos no setor privado 

O mercado de trabalho continua ganhando força à medida que as restrições à pandemia remanescentes são atenuadas e os americanos vacinados procuram retomar as viagens e a socialização. 

As empresas americanas criaram 978.000 empregos privados na folha de pagamento em maio, o máximo em quase um ano, de acordo com um relatório separado do ADP Research Institute na quinta-feira, 03.





Leia também:   Inflação aos produtores nos EUA acelerou em maio, para 0,8%

Compartilhe:

Compartilhar no twitter
Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no email
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp