Pedidos de auxílio-desemprego nos EUA atingem menor nível desde março de 2020

Foram 193 mil solicitações a menos, para 576 mil pedidos. É um marco, mas está muito acima da média de 200 mil solicitações pré-pandemia.

Equipe TradeMap

Equipe TradeMap

Compartilhar no twitter
Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no email
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp

O número de pedidos de seguro-desemprego nos Estados Unidos caíram para o menor nível desde o início da pandemia. Foram 193 mil solicitações a menos, totalizando 576 mil pedidos na semana encerrada em 10 de abril, de acordo com os dados divulgados nesta quinta-feira (15) pelo Departamento do Trabalho do país.

A quantidade ficou muito longe do que os economistas consultados pela Bloomberg estimavam: 700 mil pedidos. A queda foi considerada um indicativo de que o mercado de trabalho se recupera aos poucos com a diminuição das restrições aos serviços provocadas pela pandemia. 





Enquanto isso, os dados da semana anterior foram revisados para cima, de 744 mil para 769 mil solicitações de auxílio desemprego.

A Califórnia viu um declínio de mais de 75 mil pedidos. Ohio, Virginia e Kentucky também registraram quedas de mais da metade em relação à semana anterior.

Leia também:   Pedidos de seguro-desemprego dos EUA caem pela terceira semana

O número de solicitações divulgado hoje é o menor desde março de 2020, mas ainda está muito acima dos 200 mil que eram a média no início do ano passado, antes da pandemia. 

A taxa de desemprego do país foi de 6% em março e de 6,2% em fevereiro. Em março, a folha de pagamento dos EUA permaneceu 8,4 milhões abaixo de seu nível em fevereiro de 2020.

O que indica que o mercado de trabalho americano ainda tem um longo caminho a percorrer antes de alcançar uma recuperação total. 





Compartilhe:

Compartilhar no twitter
Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no email
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp