IPO da Pague Menos pode levantar R$ 1 bilhão

Pague Menos, foto divulgação

A oferta pública inicial de ações (IPO, na sigla em inglês) da Pague Menos pode movimentar mais de R$ 1 bilhão, de acordo com as indicações do prospecto preliminar da rede de drogarias enviado na última segunda-feira, 27, à Comissão de Valores Mobiliários (CVM).

→ Leia também: Pague Menos protocola pedido de IPO na CVM

Segundo o documento, a faixa estimativa de preço para a oferta é que cada papel seja vendido entre R$ 10,22 e R$ 12,54. Serão ofertadas, inicialmente, mais de 87 milhões de ações ordinárias, mas a operação pode ser acrescida de um lote suplementar de 13.181.019 ativos, o que corresponde a 15% da oferta base.

Se considerarmos o preço médio da faixa indicativa de preço, ou seja, de R$ 11,38 por cada ação, e que a companhia venda todo lote inicial mais o suplementar, a oferta da Pague Menos movimentaria cerca de R$ 1,3 bilhão.

De acordo com o prospecto preliminar, a precificação deve ocorrer em 31 de agosto, após o procedimento de bookbuilding, com a estreia das negociações na B3 em 2 de setembro, sob o ticker PGMN3.

Os bancos coordenadores do IPO são Itaú BBA, Credit Suisse, J.P. Morgan, XP Investimentos, Santander Brasil e BB Investimentos.

O que é bookbuilding?

De um modo resumido, o bookbuilding é o processo em que o coordenador da oferta estuda e avalia, em conjunto com os investidores, como seria a demanda de seus ativos no mercado.

Dessa forma, a empresa que pretende abrir capital ou fazer novas ofertas deve saber qual a intenção de compra dos acionistas e chegar a um preço razoável para o IPO ou follow on. Leia mais.

Foto: Pague Menos/Divulgação