Indústria brasileira acelera expansão em maio, informa PMI

O setor cresceu para 53,7 pontos no mês, contra avanço de 52,3 pontos em abril

Indústria, foto de Pexels
Logo Trademap

Por:

Compartilhe:

Compartilhar no twitter
Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp

Por:

O setor industrial brasileiro conseguiu retomar seu ritmo de expansão em maio, crescendo para 53,7 pontos, de acordo com o Índice de Gerente de Compras (PMI, na sigla em inglês) da IHS Markit, divulgado nesta terça-feira, 01. 

Em abril, o indicador chegou a 52,3 pontos, ainda acima do patamar de 50 pontos. Caso houvesse uma leitura abaixo de 50, existiria uma retração na produção do setor. 

Com o aumento das vendas, houve também um crescimento renovado da produção e de novos pedidos, além das contratações e do estoque de insumos. 

O índice de emprego subiu pelo segundo mês consecutivo em um ritmo sólido, com uma melhora das expectativas dos negócios, para uma alta de três meses em maio. 

“É encorajador ver a rapidez com que o setor industrial se recuperou da recente queda relacionada à nova onda de casos de COVID-19. As taxas de expansão no índice de novos pedidos e de produção foram modestas, na melhor das hipóteses, mas houve uma recuperação sólida nos postos de trabalho nas fábricas e no otimismo dos negócios”, comentou Pollyanna De Lima, diretora associada de Economia da IHS Markit. 

Quando aos preçosdevido à pressão da escassez de matéria-prima e à depreciação do real, os custos de insumos também cresceram. 

Ainda que acentuadas em relação aos níveis pré-pandêmicos (analisados desde fevereiro de 2006)as taxas de inflação dos preços de insumo e produção foram moderadas. 

Já o desempenho dos fornecedores reportou uma queda evidente, atingindo o patamar menos elevado em dez meses. 

Para os fabricantes de produtoso volume de novos pedidos aumentou durante o mês de maio, relacionado ao fortalecimento das condições de demandaApesar de moderado, este foi o primeiro crescimento em três meses.  

Após queda consecutiva por dois meses, o índice de produção geral de fábrica registrou elevação. 

pm

Gráfico por IHS Markit, IBGE

“Os fabricantes dividiram parte dos custos adicionais com os clientes elevando ainda mais seus encargos. Embora isso seja esperado, uma vez que as empresas protegem as margens dos aumentos de custos, a demanda pode sofrer um impacto nos próximos meses”, afirmou a diretora. 

Foto: Pexels

Leia também:   Petrobras (PETR4) lidera recomendações nas carteiras de ações para dezembro; commodities e bancos concentram preferências

Compartilhe:

Compartilhar no twitter
Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp

Compartilhe:

Compartilhar no twitter
Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp
Baixe o App Footer Post
Baixe o App Footer Post 0003 Carteira

Carteira consolidada

Baixe o App Footer Post 0002 historico de Dividendos

Histórico de dividendos

Baixe o App Footer Post 0001 Acompanhamento

Acompanhamento em tempo real

Baixe o App Footer Post 0000 IBOV

Comparação com IBOV, CDI, Dólar e mais

Não vá ainda...

Baixe o nosso App!

O maior hub do mercado financeiro
na palma da sua mão!

Popup out planos