Dexco registra salto de 11.251% no lucro líquido do 2º trimestre

A receita líquida do período subiu 88,7%, para R$ 1,97 bilhão

Duratex foto divulgação
Logo Trademap

Por:

Compartilhe:

Compartilhar no twitter
Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp

Por:

Dexco (DXCO3), antiga Duratex (DTEX3), registrou um lucro líquido recorrente de R$ 251,2 milhões no segundo trimestre deste ano, com um salto de 11.251% em relação ao mesmo período de 2020. 

O bom desempenho do resultado reflete a forte performance operacional da empresa no período devido à demanda aquecida por materiais de construção, especialmente em revestimentos cerâmicos e metais sanitários. 





No semestre, o indicador totalizou R$ 473,6 milhões, quase sete vezes maior no comparativo anual. 

A receita líquida do período apresentou alta de 88,7% ante 2020, chegando a R$ 1,97 bilhão, impactada pelo aumento das vendas aliado à manutenção dos altos níveis de demanda e à captura dos aumentos de preços. 

A receita advinda do mercado externo, que representa 16,8% da receita total do período, mais que dobrou em relação ao mesmo período do ano passado, porém recuou 11,7% frente ao trimestre anterior. 

A queda foi resultado do aumento nos custos de frete internacional e da piora nas vendas de sua unidade na Colômbia, em decorrência da crise enfrentada pelo país. 

O lucro antes dos juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda, na sigla em inglês) ajustado e recorrente fechou o trimestre em análise em R$ 500,18 milhões, alta de 320,2% na mesma base de comparação. 





Segundo a companhia, o indicador atingiu recorde histórico por conta da captura dos aumentos de preços em todas as divisões, dos relevantes ganhos em produtividade e da manutenção dos altos níveis de demanda. 

margem Ebitda do trimestre em análise cresceu 13,9 pontos percentuais (p.p), passando de 11,4% para 25,3%.  

No período, a companhia apurou ganho extraordinário, sem efeito caixa, no valor de R$ 429,7 milhões, já desconsiderado do resultado recorrente, referente à decisão tomada pelo Supremo Tribunal Federal (STF) sobre exclusão do ICMS da base de cálculo do PIS/Cofins 

Outro destaque é para o seu baixo índice de alavancagem. 

Devido ao expressivo avanço do Ebitda ajustado e recorrente dos últimos doze meses, a companhia finalizou o trimestre com índice de alavancagem de 0,91x. 

Vale ressaltar que a Dexco (DXCO3) substituirá a Duratex () na Bolsa de Valores de São Paulo (B3) a partir do pregão do dia 19 de agosto. 

 Foto: Duratex/Divulgação

Leia também:   Allied suspende potencial follow on

Compartilhe:

Compartilhar no twitter
Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no email
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp

Compartilhe:

Compartilhar no twitter
Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp
Baixe o App Footer Post
Baixe o App Footer Post 0003 Carteira

Carteira consolidada

Baixe o App Footer Post 0002 historico de Dividendos

Histórico de dividendos

Baixe o App Footer Post 0001 Acompanhamento

Acompanhamento em tempo real

Baixe o App Footer Post 0000 IBOV

Comparação com IBOV, CDI, Dólar e mais