CMN fixa meta de inflação para 2023 em 3,25%

Banco Central do Brasil, foto de Rahel Patrasso/Xinhua

O Conselho Monetário Nacional (CMN) fixou a meta de inflação em 3,25% a ser perseguida pelo Banco Central em 2023. Em reunião na última quinta-feira, 25, o conselho também definiu uma margem de tolerância de 1,5 ponto percentual para o cumprimento da meta.

Na prática, isso quer dizer que a inflação de 2023 deverá ficar entre 1,75% e 4,75%, aponta a Agência Estado.

A decisão do CMN foi divulgada por meio da Resolução nº 4.831, publicada pelo Banco Central. De acordo com a agência, ela dá continuidade a um processo, iniciado em 2017, em que o conselho vem reduzindo a cada ano, em 0,25%, a mata de inflação no Brasil.

Na época, o CMN havia anunciado metas de 4,5% para 2018, 4,25% para 2019 e 4% neste ano. Em todos os casos, a margem de tolerância era de 1,5 ponto percentual. Para 2021 e 2020, as metas são de 3,75% e 3,5%, respectivamente.

Foto: Rahel Patrasso/Xinhua