Bolsas internacionais operam em alta após reunião do FED

Fortes resultados das empresas americanas também animam investidores

Equipe TradeMap

Equipe TradeMap

Compartilhar no twitter
Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no email
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp

Bolsas asiáticas fecharam em alta, impulsionadas pela continuidade da política de estímulos americana, reiterada pelo Fed ontem, e pelos balanços robustos das empresas.

Enquanto isso, as bolsas europeias abriram em alta e os futuros americanos renovaram suas máximas após o discurso ao Senado, do presidente Joe Biden. A continuidade da política monetária do Fed, anunciada por Jerome Powell, também foi propulsora das altas nas bolsas. 





Voltando ao presidente Joe Biden, ele apresentou seu plano de apoio social de US$ 1,8 trilhão, que será em parte financiado pelo aumentos de impostos sobre ganhos de capital. O pacote tem como prioridade crianças, estudantes e famílias, também inclui subsídio a creches, licenças familiares e faculdades comunitárias.

Leia também:   B3 divulga 3ª prévia da carteira teórica do Ibovespa

Na contramão das bolsas, o dólar teve nova baixa nesta quarta-feira, 28, ao menor nível desde o segundo dia de fevereiro de 2021. Com a sinalização de manutenção da política monetária feita pelo Fed, ficou claro que a compra de ativos permanecerá no mesmo patamar, com isso, o aumento da inflação é transitório e a moeda caiu.

Na agenda econômica teremos a divulgação do pedido de auxilio desemprego nos EUA e o PIB do país. Os resultados corporativos do primeiro trimestre seguem com divulgação do Twitter, da Amazon, do McDonalds e outras companhias.

Cenário brasileiro 

As commodities, em especial o petróleo bruto, estende seus ganhos com a perspectiva de aumento da demanda, mesmo com a ameaça de longo prazo da crise de Covid-19 na Índia. A campanha de subsídio à infraestrutura do governo Biden cria expectativas no mercado pretolífero. 

Leia também:   Pedidos de seguro-desemprego dos EUA caem pela terceira semana

Por aqui, a cúpula da CPI da Covid-19 definiu um roteiro inicial de testemunhas para depor. Para semana que vem, esperam-se as falas dos ex-ministros da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, Nelson Teich e Eduardo Pazuello. Também será convocado o atual chefe da pasta, Marcelo Queiroga.





Na agenda econômica teremos os dados do IGP-M mensal de abril e os números de sondagem da indústria. Já a agenda de resultados aguarda os balanços da Petrobras, Embraer, Fleury, Gol, Duratex, CTEEP e Grendene.

Compartilhe:

Compartilhar no twitter
Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no email
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp