Alphabet, Microsoft e Tesla registram fortes lucros nos Estados Unidos

Veja os números do primeiro trimestre das bigs techs americanas.

Equipe TradeMap

Equipe TradeMap

Compartilhar no twitter
Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no email
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp

A temporada de balanços também segue a todo vapor nos Estados Unidos. Grandes empresas como Alphabet, Microsoft e Tesla já divulgaram seus resultados. Vamos a eles: 

Alphabet (GOOG; GOOGL)

A holding controladora do Google, Alphabet, obteve lucros recordes pelo terceiro trimestre consecutivo durante a pandemia, catapultando suas ações em mais de 5% após o pregão de ontem, 27, quando divulgou seus resultados. Hoje, 28, os papéis da empresa se mantêm acima dos 4% na bolsa americana Nasdaq. 





É fácil entender o interesse dos investidores com os números. O lucro líquido da Alphabet foi de US$ 17,93 bilhões no primeiro trimestre de 2021. O valor representa uma alta de 162,3% em relação aos três primeiros meses de 2020, quando o lucro foi de US$ 6,84 bilhões. 

Já a receita líquida da holding cresceu 34% na comparação anual, para US$ 55,3 bilhões, acima da estimativa de US$ 51,5 bilhões dos analistas. 

Com valores tão grandiosos, o Google anunciou a recompra de US$ 50 bilhões em ações, atendendo aos desejos dos investidores que vinham monitorando as crescentes reservas de caixa da empresa.

De acordo com a CFO da empresa, Ruth Porat, o resultado positivo é uma combinação do aumento das compras on-line durante o isolamento social com o faturamento de anunciantes que buscam chamar atenção dos clientes nesse ambiente. 

A empresa registrou US$ 31,88 bilhões em vendas de seus produtos exclusivos, como meio de buscas, Gmail e mapas. Trata-se de um aumento de 30% que reflete a maneira como as marcas estão gastando para alcançar as pessoas online. O YouTube arrecadou US$ 6,8 bilhões, um aumento de 49% em relação ao ano anterior.





De forma geral, a receita de publicidade foi de US$ 44,7 bilhões entre janeiro e março, alta de 32,2%.

Outro destaque ficou para o serviço de computação em nuvem. A empresa tem investido bilhões de dólares nos últimos meses que elevaram as vendas da divisão em 46%, para US$ 4,05 bilhões no trimestre.

Microsoft (MSFT) 

A empresa fundada por Bill Gates e Paul Allen em 1975 ampliou seus ganhos trimestrais alimentados pela pandemia do coronavírus, que impulsionou seus serviços de computação em nuvem e aumentou as vendas de videogames. 

A gigante do software alcançou uma avaliação patrimonial de US$ 1,97 trilhão nos últimos tempos, abaixo apenas da Apple, que vale US$ 2,2 trilhões. 

Neste primeiro trimestre de 2021, o lucro líquido obtido foi de US$ 15,46 bilhões, com um registro de vendas 19% mais altos, gerando uma receita líquida de cerca de US$ 41,7 bilhões. 

O produto de computação em nuvem da Microsoft, Azure, aumentou as vendas em 50% nos primeiros três meses do ano, revelou a empresa. O segmento que inclui o Azure – e envolve as vendas de servidores locais e outros negócios – relatou receita total de US$ 15,1 bilhões, acima dos US$ 12,28 bilhões da comparação anual.

A atividade de videogame da empresa foi particularmente intensificada durante a pandemia. A receita de conteúdo e serviços do Xbox aumentou 34% no último trimestre, auxiliada pelo recente lançamento de dois novos consoles, Xbox Series X e S.

O segmento é contabilizado na área “More Personal Computing”, que inclui Windows e as receitas do Xbox, registrou receita de US$ 13 bilhões, acima dos US$ 11 bilhões do ano anterior. 





Tesla (TSLA) 

Com a divulgação dos resultados do primeiro trimestre de 2021, a Tesla marca seu sétimo trimestre consecutivo de lucro, embora as vendas estejam ligeiramente abaixo das expectativas dos analistas. 

Na segunda-feira, 26, a empresa divulgou que seu lucro líquido foi de US$ 438 milhões, muito acima dos US$ 16 milhões do ano anterior. Já a receita no primeiro trimestre saltou cerca de 74% em relação ao mesmo período do ano anterior, para US$ 10,4 bilhões.  

Leia também:   Carrefour registra lucro de R$ 420 milhões no 1º tri

De acordo com o relatório, a montadora entregou 184.877 veículos nos primeiros três meses do ano, mais que o dobro do mesmo período de 2020. E isso aconteceu mesmo com desafios, como a dificuldade de abastecimento das peças em meio a pandemia, além da conhecida escassez de chips que assola a Tesla e outras montadoras.

Durante teleconferência de resultados, o CEO da montadora, Elon Musk, afirmou que geralmente as vendas desaceleram nos primeiros três meses do ano, mas isso não teria sido observado em 2020. “A demanda é a melhor que já vimos”, disse. 

Com alguns processos em investigação por autoridades federais, referente a acidentes com os veículos Tesla, Musk afirma que a montadora está cooperando com as autoridades e reitera com o serviço de piloto automático é seguro. 

 

Leia também:   Marcopolo encerrou o 1º tri com prejuízo de R$ 14,7 milhões

Compartilhe:

Compartilhar no twitter
Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no email
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp