AES Brasil e BRF formam joint venture para construção de parque eólico no RN

O investimento estimado do projeto é de aproximadamente R$ 5,2 milhões por MW instalado

Parque eólico - Unsplash
Logo Trademap

Por:

Compartilhe:

Compartilhar no twitter
Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp

Por:

A AES Brasil e a BRF anunciaram nesta terça-feira, 17, a formação de uma joint venture para a construção de um parque eólico para autogeração no Complexo Eólico Cajuína, no Rio Grande do Norte. O controle da nova empresa será compartilhado pelas companhias.

→ Leia também: BRF tem prejuízo de R$ 199 milhões entre abril e junho



Segundo o comunicado ao mercado, o projeto contará com capacidade instalada de 160 MWm, gerando 80 MWm a serem comercializados com a BRF por meio de um contrato de compra e venda de energia válido por 15 anos.

A BRF, que é dona das marcas Sadia e Perdigão, disse que o projeto está em consonância com a Visão 2030, com a política de sustentabilidade da empresa e com compromisso de se tornar net zero em emissões de gases de efeito estufa (GEE) até 2040, tanto em suas operações como em sua cadeia produtiva.

“Com essa parceria, a companhia atenderá cerca de um terço de suas necessidades energéticas no Brasil, e evolui com sua meta de chegar a 2030 com mais de 50% da matriz energética proveniente de fontes renováveis e limpas, além de mitigar riscos de escassez de abastecimento e operar com custos mais competitivos”, destacou em nota.

Enquanto isso, a AES Brasil informou que o empreendimento reforça sua estratégia de crescimento e diversificação de portfólio.



Leia também:   STJ determina que Vale deverá devolver o valor recebido por hidrelétrica inoperante desde 2015

→ Leia também: AES Brasil apresenta lucro de R$ 27,5 milhões no 2º tri, queda de 76,9%

O investimento estimado do projeto é de aproximadamente R$ 5,2 milhões por MW instalado. A companhia de alimentos afirmou que investirá cerca de R$ 80 milhões durante o desenvolvimento do parque eólico, previsto para começar em 2024.

Contudo, o fechamento da parceria ainda precisa de aprovações de entidades competentes, como o Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade).

Foto: Unsplash

Compartilhe:

Compartilhar no twitter
Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp

Compartilhe:

Compartilhar no twitter
Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp
Baixe o App Footer Post
Baixe o App Footer Post 0003 Carteira

Carteira consolidada

Baixe o App Footer Post 0002 historico de Dividendos

Histórico de dividendos

Baixe o App Footer Post 0001 Acompanhamento

Acompanhamento em tempo real

Baixe o App Footer Post 0000 IBOV

Comparação com IBOV, CDI, Dólar e mais