O que é a Análise Fundamentalista?

Saiba mais sobre uma das ferramentas do mercado para projetar preços e comportamento dos ativos financeiros.

Equipe TradeMap

Equipe TradeMap

Compartilhar no twitter
Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no email
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp

Ao aprender sobre investimentos, um dos passos mais importantes e significativos para ter bons rendimentos é aprender a analisar os ativos.

Isso porque, é por meio de um estudo adequado que o investidor consciente toma base para suas decisões de compra ou venda de títulos. 





Por isso, muitos investidores utilizam de ferramentas que os ajudam no direcionamento financeiro. Uma dessas ferramentas é a Análise Fundamentalista. 

Criada pelo economista britânico Benjamin Graham, a técnica conhecida como “buy and hold” consiste em comprar ações mais baratas, porém com tendência de valorização, para colher seus rendimentos no médio e longo prazo. 

Leia também: Imersão Bolsa de Valores no Longo Prazo com Fabio Holder 

E é neste ponto que a Análise Fundamentalista entra em cena, porque é por meio dela que você encontrará as tais ações com potencial de valorização. 

Dito isso, neste artigo você irá entender os detalhes desta ferramenta de análise e muito mais. Vem com a gente! 

  • O que é análise fundamentalista 
  • Principais indicadores 
  • Análise fundamentalista x análise técnica 
  • Como fazer uma análise fundamentalista 

❖ O que é a Análise Fundamentalista?

O próprio nome já dá uma dica do que se trata, não? Pois bem, essa técnica tem como base determinados fundamentos que envolvem a situação financeira, econômica, setorial e regional de determinada empresa. 





Isso quer dizer que a Análise Fundamentalista aborda um maior espectro da companhia, para que o investidor consiga uma leitura atual e ampla.

E não só isso: entender e projetar os preços futuros das ações, seu potencial de rendimento e o seu valor no mercado também é possível. 

Cabe aqui acrescentar que, embora esteja associada ao mercado de ações, esta análise também se aplica a outros ativos, como commodities, setores inteiros, índices, moedas, entre outros.  

Existem várias formas para você analisar uma empresa e decidir, afinal, se vale ou não a pena investir nela. Por conta disso, essa análise avalia o cenário macro e micro da companhia. Vejamos a seguir:

analise fundamentalista 2

Em relação ao cenário macro, é importante entender como a companhia está no cenário amplo. Por exemplo, seus serviços estão em alta na atual conjuntura do país? O cenário do setor de atuação é promissor? Como estão os produtos e serviços em relação aos concorrentes? 

São informações importantes, que ajudam na projeção do cenário externo que envolve as empresas.

Já olhando pelo lado micro, a observação envolve o aspecto interno das companhias. Esse fator diz muito sobre a gestão, uma vez que a gerência determina os seus resultados futuros.

Então balanços financeiros, pagamentos de dividendos, patrimônio, composição do conselho diretor, tudo isso importa. 





Leia também: Temporada de resultados chegando: saiba como analisar os dados das empresas!

Juntos, esses cenários constroem uma base sólida para avaliar uma empresa. Mas não são os únicos. Há de se acrescentar o aspecto qualitativo da análise. 

O quantitativo é óbvio: o olhar minucioso para os números do cenário micro. Mas o qualitativo nem tanto. 

A análise qualitativa difere do cenário macro no sentido de entender a reputação da empresa, no seu setor, no mercado, com clientes. Nos últimos tempos, questões relacionadas à sustentabilidade, recursos humanos e posicionamento midiático de marca têm chamado a atenção. 

❖ Principais indicadores para uma Análise Fundamentalista

A realidade financeira das empresas depõe muito sobre ela. Por isso, alguns indicadores merecem mais destaque do que outros na hora de ter um olhar quantitativo e micro de análise. 

São três os principais demonstrativos que devem ser considerados, já que incluem os principais indicadores:

Balanço patrimonial

O balanço patrimonial de uma empresa indica todas as movimentações financeiras que ela apresentou em determinado período.

Basicamente, ele é dividido em ativos (os bens e direitos da empresa), passivos (suas obrigações financeiras, o que ela deve pagar a terceiros) e o patrimônio líquido (a diferença entre o que ela possui de ativos e passivos)





Resultados financeiros

Parte do Demonstrativo de Resultado do Exercício (DRE) de uma empresa consiste em um documento que indica se ela teve ou não lucro a partir da seguinte conta: receita – despesa = lucro. Ele pode aparecer como lucro líquido ou ajustado, no último caso, a empresa deve esclarecer quais foram os ajustes. 

Todas as empresas de capital aberto apresentam seus resultados com frequência anual e trimestral para que os investidores possam acompanhar. Um dos indicadores mais importantes para a análise fundamentalista deste demonstrativo é o Ebitda

Em português, o Ebitda significa lucro antes dos juros, impostos, depreciação e amortização. Na prática, ele é usado para entender qual o potencial da empresa de gerar caixa, sua eficiência e como ela se compara a outros concorrentes do setor. 

Fluxo de caixa

O Demonstrativo de Fluxo de Caixa, analisa especificamente o caixa da empresa em questão. Ele foca em entender quanto entra e sai do caixa da empresa, com um olhar crítico para a finalidade dos gastos.

❖ Análise Fundamentalista X Análise Técnica?

Apesar da Análise Fundamentalista ser bem famosa no mercado financeiro, ela não é a única utilizada entre os investidores. Há também uma ferramenta chamada Análise Técnica. 





Leia também:   Tecnologia e dados: conheça os passos do sucesso

A Análise Fundamentalista estuda a saúde financeira de uma empresa, dados econômicos e comerciais e perspectivas de preço do ativo no futuro. Enquanto isso, a Análise Técnica avalia o movimento do ativo a partir de um gráfico, com base em expectativas com prazos menores, entre semanas, dias ou, até mesmo, horas. 

Por conta disso, elas são indicadas para diferentes planejamentos e perfis de investidores. 

Se por um lado a Fundamentalista é cotada para o longo prazo, por outro, a Técnica é recomendada para o curto prazo. Que tal ver um quadro comparativo para facilitar o entendimento, hein?

analise fundamentalista x  análise técnica

Se você ainda ficou com dúvidas, neste vídeo, o Breno Perrucho, do canal Jovens de Negócios, explica com mais detalhes as diferenças.

❖ Como fazer uma análise fundamentalista

Depois desse artigo, você já consegue identificar os aspectos da Análise Fundamentalista facilmente, não é mesmo? 

Para te ajudar ainda mais, o TradeMap disponibiliza todas as informações financeiras sobre as companhias listadas na bolsa brasileira e na bolsa americana.

Basta clicar na ação desejada e descer a tela, você já encontrará vários indicadores. Para mais detalhes, você tem a opção da função raio-x. 

Neste vídeo, o Rodolfo Marques explica como achar esses dados no TradeMap e o que eles representam. Dá um play e mais um passo para se tornar um investidor de sucesso! 

Compartilhe:

Compartilhar no twitter
Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no email
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp