Navegue:
Vittia (VITT3): Ações já valorizaram 30% desde IPO – veja o que a XP tem a dizer sobre a empresa

Vittia (VITT3): Ações já valorizaram 30% desde IPO – veja o que a XP tem a dizer sobre a empresa

Nove meses após o IPO, a corretora tem recomendação de compra para o papel e preço-alvo de R$ 18,9

vittia: reprodução/facebook

Vittia: Reprodução/Facebook

Por:

Compartilhe:

Por:

Desde que abriu seu capital no dia 1º de setembro de 2021, a Vittia (VITT3), que atua com insumos e tecnologia para a agricultura, viu seus papéis valorizarem cerca de 30,77%. De lá para cá, a ação da companhia passou de R$ 8,45 para os atuais R$ 11,05 — valor do pregão da última sexta-feira (27).

Às 16h15 desta segunda-feira (30), os papéis da empresa subiam 1,90% na Bolsa, sendo negociados a R$ 11,26. A máxima histórica do papel, porém, foi registrada no dia 31 de janeiro deste ano, quando as ações alcançaram R$ 15,03, uma valorização de 77% em comparação com o IPO.

Fonte: TradeMap
Fonte: TradeMap

Diante disso, nove meses depois da abertura de capital, a XP é umas das primeiras a iniciar a cobertura da Vittia. Em relatório publicado neste domingo (29), a corretora afirmou que recomenda a compra das ações pelos investidores e vislumbra um preço-alvo de R$ 18,9, um upside de 68% em relação ao preço atual.

Leia também:

Vittia Fertilizantes define preço por ação a R$ 8,60

“Temos uma visão positiva sobre a Vittia, pois a alta recente nos preços dos fertilizantes deve ter um impacto positivo nos biofertilizantes. Além disso, existe um processo em andamento de adoção de tecnologia na agricultura que esperamos que dure por muitos anos”, afirmaram os analistas Leonardo Alencar, Pedro Fonseca e Marcella Ungaretti.

Além da perspectiva futura, a XP acredita que por a Vittia ter mais de 50 anos de existência e uma plataforma comercial robusta, a possibilidade de fusões e aquisições de sucesso no setor é plausível.

No entanto, os analistas enxergam alguns riscos para a empresa em relação ao uso de biopesticidas, que não são tão conhecidos para os agricultores como os biofertilizantes e inoculantes.

“No geral, o uso de produtos biológicos na produção se correlaciona com o nível de tecnologia da fazenda, não com seu tamanho, de modo que o perfil de clientes da Vittia é misto e principalmente granular, acarretando maiores despesas de vendas e alongando seu capital de giro devido à demanda de crédito”, explicam os analistas.

Segundo informações disponíveis na plataforma do TradeMap, a Vittia é controlada por duas holdings, a WFR Participações e FGR Participações, cada uma com 30,3% de participação na empresa. Além disso, a gestora JGP Gestão possui cerca de 5% da companhia.

Compartilhe:

Compartilhe: