Navegue:
UBS BB aponta dois obstáculos para CSN Mineração (CMIN3) nos próximos trimestres; veja quais são

UBS BB aponta dois obstáculos para CSN Mineração (CMIN3) nos próximos trimestres; veja quais são

Banco cortou o preço-alvo em 19%, para R$ 4,30, mas manteve a recomendação de compra

Mineradora

Foto: Shutterstock

Por:

Compartilhe:

Por:

Depois de um cenário de alta nos preços do minério de ferro no primeiro semestre deste ano, os ventos podem mudar nos próximos trimestres, pressionando os resultados de empresas como a CSN Mineração (CMIN3), segundo análise do banco de investimentos UBS BB.

Estes ventos contrários, dizem os analistas Andreas Bokkenheuser, Cadu Schmidt e Cleve Rueckert, em relatório distribuído nesta quinta-feira (30), devem vir da economia chinesa, do modelo de negócios das mineradoras e de dinâmicas sazonais do setor.

Em primeiro lugar, notam os analistas, os condutores da demanda por aço e minério de ferro são construções iniciadas nos últimos dois anos. Assim, o aumento de 4% em imóveis em construção na China registrado até agora neste ano, que apoia a demanda pelos materiais, reflete o crescimento de 5% em novas construções no primeiro trimestre do ano passado.

Agora, porém, isso está mudando. Com o declínio de 24% no início de novas construções no segundo semestre de 2021 e de 32% neste ano até agora, as construções em andamento tiveram queda de 1% em maio, pela primeira vez desde 2015, o que pode ser um sinal de fraqueza de demanda.

Para o UBS BB, um segundo ponto de atenção seria o provisionamento nas vendas realizadas, que pode ser carregado para os períodos seguintes. “As mineradoras normalmente vendem uma parte dos volumes em contratos indexados, o que sugere que os resultados do segundo trimestre podem exibir perdas provisionais”, afirma o banco.

Na prática, o que acontece é que vendas indexadas realizadas no primeiro trimestre, ainda não precificadas, foram incluídas nos resultados do período, considerando os preços do período – que registrou o pico de preços de minério neste ano. Desta forma, é no segundo trimestre que esta perda provisional é registrada.

“Com os preços tendo diminuído cerca de 20% no segundo trimestre em relação ao pico do fim dos primeiros trimestres anteriores, acreditamos que isso pode pesar sobre os resultados, pois a CMIN afirmou que 4,5 milhões de toneladas (quase 50% da projeção trimestral de volume do UBS) foi vendido a preços provisionados no primeiro trimestre”, afirmam os analistas.

Finalmente, dinâmicas sazonais do setor também podem pesar sobre os resultados, principalmente no segundo semestre. Como observado no ano passado, os preços do minério de ferro tendem a subir no primeiro semestre, com as usinas siderúrgicas refazendo estoques, ao mesmo tempo em que a oferta é sazonalmente mais baixa.

Essa tendência costuma se inverter no segundo semestre, aponta o UBS BB, quando a demanda diminui e a oferta cresce.

Diante deste cenário e considerando um aumento da inflação de custos, o banco reduziu seu preço-alvo para a ação em 19%, para R$ 4,30, o que corresponde a alta de 11% em relação ao valor de fechamento desta quinta-feira, de R$ 3,86. A recomendação de compra foi mantida.

Compartilhe: