Navegue:
Petrobras (PETR4): Para analistas, troca mostra Bolsonaro intolerante com preços; ações caem

Petrobras (PETR4): Para analistas, troca mostra Bolsonaro intolerante com preços; ações caem

Caio Paes de Andrade será o quarto presidente da estatal no governo Bolsonaro e o terceiro a assumir o cargo este ano

Foto de fachada de prédio da Petrobras, com foco em logo

Foto: Shutterstock

Por:

Compartilhe:

Por:

O mercado parece ter reagido negativamente a mais uma troca no comando da Petrobras. No pregão desta terça-feira (24), dia posterior ao anúncio feito pelo Ministério de Minas e Energia em substituir o comando da Petrobras (PETR4), as ações da empresa listadas aqui e nos Estados Unidos caem.

Menos de dois meses após a nomeação de José Mauro Coelho, o governo decidiu trocar e indicar Caio Paes de Andrade para o posto. Ele se tornará o quarto comandante durante o governo e o terceiro a assumir o cargo em 2022.

A troca evidencia o descontentamento do presidente Jair Bolsonaro com a política de preços de combustíveis adotada pela companhia. Na avaliação dos analistas do BTG Pactual, Thiago Duarte, Pedro Soares e Bruno Lima, em relatório publicado nesta terça, o novo CEO enfrenta um dilema — “como preservar seu próprio emprego seguindo as políticas da empresa e sem comprometer a disponibilidade de combustível do Brasil?”.

O banco acredita que a paridade internacional de preços, política vigente na estatal, é importante para manter uma “oferta saudável de combustíveis para o país”. Contudo, isso vai exatamente contra o que o presidente Jair Bolsonaro já deixou claro que deseja.

Para a XP, a notícia da mudança é “negativa”, uma vez que essa rotatividade não é saudável para nenhuma empresa. Além disso, a corretora não vê uma mudança na política de preços de combustíveis da Petrobras.

“Primeiro, porque ainda vemos o estatuto da Petrobras blindando a empresa de subsidiar combustíveis como no passado, independentemente do CEO. Em segundo, Andrade é fortemente ligado a Paulo Guedes (ministro da Economia), que não é a favor de mudanças na política de preços de combustíveis”, argumentam os analistas André Vidal e Junia Gama, em relatório publicado também nesta terça.

Por volta de 11h (de Brasília), embora a companhia não seja a maior queda do Ibovespa, os papéis preferenciais (PETR4) cediam 3,17% enquanto as ordinários (PETR3) recuavam 2,88%. No total, as ações correspondiam a cerca de R$ 1,2 bilhão do volume negociado nesta terça.

Nos EUA, na Bolsa de Nova York (NYSE), as ADRs da estatal perdiam 3,05% no mesmo horário após cederem quase 12% no pré-mercado.

A troca no comando

Coelho havia sido indicado para o cargo para substituir o general Joaquim Silva e Luna que, por sua vez, foi alçado ao posto em abril de 2021 no lugar de Roberto Castello Branco.

Em todas as substituições, Bolsonaro deixou claro que as trocas estavam vinculadas ao desejo do governo de alterar a política de preços para os combustíveis usada pela Petrobras, que equipara os valores cobrados por estes produtos no mercado interno aos do mercado externo.

O novo indicado do governo para presidir a Petrobras ocupa atualmente o cargo de secretário especial de Desburocratização, Gestão e Governo Digital no Ministério da Economia e foi indicado pelo ministro Paulo Guedes.

Recomendações

A XP pondera que mesmo com os barulhos políticos, ainda recomenda compra dos papéis, vislumbrando que o EV/Ebitda, indicador que divide o valor de mercado da empresa (pelo critério de enterprise value, que inclui as dívidas da companhia) pelo Ebitda (o lucro antes dos juros, impostos, amortização e depreciação) é menor que de outras petrolíferas do ocidente.

Com esse indicador, é possível saber em quantos anos a companhia consegue “se pagar”. Quanto menor o tempo, mais barata a empresa é. De acordo com a corretora, esse múltiplo da petrolífera está em 2,4 vezes.

Já o BTG prefere se manter neutro na recomendação para os investidores, e acredita que as ações da estatal devem continuar voláteis. “Os investidores percebem um alto risco associado à continuidade do fluxo de dividendos. Permanecemos neutros e preferimos investir no tema petróleo via outros ativos do setor”, completou o banco.

Leia também:

Quer fugir da Petrobras (PETR4)? Saiba o que esperar das concorrentes 3R Petroleum (RRRP3) e PetroRio (PRIO3)

De acordo com dados do Refinitiv disponíveis na plataforma do TradeMap, das 11 recomendações para a companhia, oito são de compra e 3 para manter os papéis.

Fonte: TradeMap
Fonte: TradeMap

Compartilhe:

Compartilhe: