Navegue:
Ibovespa recua 2,08%, aos 103.501 pontos, e volta para patamar de fevereiro; em outubro, perda chega a 6,7%

Ibovespa recua 2,08%, aos 103.501 pontos, e volta para patamar de fevereiro; em outubro, perda chega a 6,7%

Principal índice da Bolsa brasileira perde 13,03% no acumulado do ano

Mercado

Foto: Pexels

Por:

Compartilhe:

Por:

No último pregão de outubro, o Ibovespa descolou novamente das bolsas americanas e encerrou o dia em queda de 2,08%, aos 103.500,71 pontos, menor pontuação desde o fim de fevereiro, quando o índice marcava 110.035 pontos. No mês, o Ibovespa caiu 6,73%, a maior baixa de 2021, e, no acumulado do ano, perde 13,03%.

Em Wall Street, o índice Dow Jones avançou 0,25% nesta sexta-feira, aos 35.819,56 pontos, o S&P 500 valorizou 0,19%, aos 4.605,38 pontos, e Nasdaq teve alta de 0,33%, aos 15.498,39 pontos. O dólar Ptax teve alta de 0,53%, a R$ 5,64, e subiu 3,86% em outubro.

Blue chips em queda

O dia do mercado brasileiro foi marcado por um mau humor generalizado, com destaque para a queda de 5,90% da ação preferencial da Petrobras (PETR4), que encerrou o pregão a R$ 27,25. A companhia, que reportou lucro líquido de R$ 31,1 bilhões no terceiro trimestre deste ano, teve o desempenho pressionado por declarações de Jair Bolsonaro na última quinta-feira. O presidente afirmou que estuda uma maneira de alterar a política de preços da petroleira.

Ainda entre as principais ações da Bolsa brasileira, os papéis da Vale (VALE3) recuaram 2,84%, a R$ 71,61 nesta sexta-feira. A companhia divulgou seu balanço trimestral, com lucro líquido de US$ 2,908 bilhões, valor 48,7% inferior ao registrado no trimestre imediatamente anterior.

A companhia também anunciou um novo programa de recompra de até 200 milhões de ações, valor que representa 4,1% das ações em circulação.

As siderúrgicas também caíram em massa na sessão de hoje, pressionadas pela queda do minério de ferro na China. As baixas foram protagonizadas pela Usiminas (USIM5), que recuou 7,54%, a R$ 13,25. A empresa reportou lucro líquido de R$ 1,824 bilhão no terceiro trimestre de 2021, representando um forte crescimento de 821% em relação ao mesmo período de 2020. Já no comparativo com o segundo trimestre, o lucro teve redução de 59,9%.

Avanços da sessão

No grupo das poucas altas do pregão, destaque para os frigoríficos, com Minerva (BEEF3) avançando 7,15%, a R$ 9,74, Marfrig (MRFG3) em alta de 5,33%, a R$ 26,50, e JBS (JBSS3) valorizando 4,19%, a R$ 39,05.

Suzano (SUZB3) subiu 0,65%, a R$ 49,23, após divulgar seus resultados referentes ao período de julho a setembro, com prejuízo líquido de R$ 959 milhões, 17% menor que a perda de R$ 1,158 bilhão registrada no mesmo período do ano passado.

Agenda de segunda-feira, 01

Às 8h30, o Banco Central divulga o Boletim Focus, com as expectativas do mercado financeiro ara dólar, inflação, juros e PIB (Produto Interno Bruto).

O HSBC divulga às 10h o PMI (índice de gerente de compras) da indústria em outubro. A pesquisa dará aos investidores uma ideia de como está a atividade econômica neste fim de ano. Às 11h45, será a vez de a Markit divulgar o mesmo indicador para os Estados Unidos.

A Secretaria Especial de Comércio Exterior ainda divulga às 15h a balança comercial de outubro.

Compartilhe:

Tags:

Compartilhe: