Navegue:
Investidor da Totvs (TOTS3) terá alívio com balanço do 2º tri, prevê UBS-BB, que recomenda compra

Investidor da Totvs (TOTS3) terá alívio com balanço do 2º tri, prevê UBS-BB, que recomenda compra

Desde a divulgação dos números do primeiro trimestre, o papel recuou 28%

Totvs divulgacao

Foto: Divulgação

Por:

Compartilhe:

Por:

Após decepcionar o mercado com os números do primeiro trimestre, provocando uma desvalorização de 28% nas ações, os resultados da Totvs (TOTS3) para o período entre abril e junho devem mostrar melhorias, na visão de analistas do UBS-BB.

“Ainda que os resultados da Totvs no segundo trimestre não devam ser os melhores da história da companhia, esperamos que aliviem muitas das preocupações dos investidores sobre a tese de investimento”, escrevem os analistas Leonardo Olmos, Andre Salles e Lucas Chaves, em relatório distribuído nesta sexta-feira (15).

Assim, o UBS-BB reitera sua recomendação de compra para o papel, “especialmente depois da correção recente nos preços”. O preço-alvo fixado pelos analistas é de R$ 41,50, o que corresponde a alta de 79% em relação ao valor da ação no fechamento de quinta-feira (14), de R$ 23,24.

Por volta das 12h45 desta sexta, o papel tinha alta de 1,85%, a R$ 23,67.

Em primeiro lugar, o banco acredita que a receita recorrente deve continuar crescendo em níveis sólidos, ainda que em ritmo um pouco menor do que no trimestre passado, quando a companhia registrou vendas corporativas mais fortes do que o normal.

A receita projetada é de R$ 957 milhões, o que representa alta de 29% na comparação com o mesmo período do ano passado. No primeiro trimestre, o crescimento anual foi de 34%.

⇨ Quer conferir quais são as recomendações de analistas para as empresas da Bolsa? Inscreva-se no TradeMap!

Na divisão de management, a receita recorrente deve registrar alta de 27% na comparação anual, ritmo de expansão igual ao do primeiro trimestre, impulsionada por uma adição líquida de receita anula recorrente de R$ 170 milhões.

Já para o braço de business performance, os analistas esperam uma receita de R$ 75 milhões, alta anual de 29%, contra a expansão de 33% anotada no primeiro trimestre. Ainda que o banco acredite que essa desaceleração poderá ser mal recebida pelo mercado, a aceleração esperada em adições líquidas de receita anual recorrente, que deve ficar em R$ 18 milhões, contra R$ 16 milhões nos três meses anteriores, sugerem um maior crescimento no segundo trimestre.

Finalmente, para a unidade de techfin, a expectativa dos analistas é de um crescimento maior na receita líquida, de 25% (vs. 14% no primeiro trimestre) e melhoria nas margens, de 51,6% no primeiro trimestre para 58,4%. “Ainda que preferíssemos ver a produção de crédito acelerando na comparação trimestral, nossa expectativa de números estáveis não deve ser surpresa para o mercado, pois se baseia em dados públicos”, diz o relatório.

Compartilhe:

Compartilhe: