Navegue:
Ibovespa sobe e pode ter maior sequência de alta em sete meses; Locaweb (LWSA3) sobe mais de 10%

Ibovespa sobe e pode ter maior sequência de alta em sete meses; Locaweb (LWSA3) sobe mais de 10%

Empresa tech se recupera de dias de baixa e sobe mais de 10% no Ibovespa. Banco do Brasil reporta resultados e agrada investidores

Locaweb

Foto: Shutterstock

Por:

Compartilhe:

Por:

O Ibovespa sobe pelo sexto pregão consecutivo na tarde desta terça-feira (15), a maior sequência de alta desde o início de junho do ano passado, quando avançou por oito sessões seguidas. Por volta das 13h35 (de Brasília), o índice subia 0,65%, a 114.642 pontos.

Entre os componentes do Ibovespa, os desempenhos mais fortes são registrados por empresas prejudicadas pela aversão ao risco no final do ano passado – com destaque para a Locaweb (LWSA3), cujos papéis sobem 13%.

A ação da companhia brasileira de hospedagem de sites e serviços de internet entrou numa tendência de queda em julho do ano passado e aprofundou as perdas nos últimos meses. Os papéis encerraram 2021 sendo negociados por R$ 13,16 e no momento, estão valendo R$ 10,93.

Fonte: TradeMap
Fonte: TradeMap

Para o economista-chefe da Frente Corretora, Fabrizio Velloni, a subida dos papéis da Locaweb se devem, em grande parte, aos investimentos trazidos por investidores de outros países na bolsa brasileira, que buscam “ativos de risco”.

“O dia está demonstrando um pouco mais de fluxo de estrangeiro. Aqui temos papéis baratos no mercado, e além disso, com o movimento de desvalorização da moeda, o real ficou barato para o estrangeiro entrar na bolsa”, afirma Velloni. 

O movimento de entrada dos estrangeiros na Bolsa é forte desde o início do ano. Só em janeiro, foram injetados R$ 32,4 bilhões por investidores de outros países no mercado de ações brasileiro, segundo dados da B3.

Contudo, o economista acredita que os estrangeiros devem tirar o pé do acelerador caso o Ibovespa chegue a 117 mil pontos. Após isso, ele considera que o investimento no Brasil deixará de ser atrativo para estes investidores.

Outro papel que se destaca nesta terça é o do Banco do Brasil (BBAS3), que sobe 5,22% após divulgar os resultados do quarto trimestre de 2021. O lucro ajustado da instituição financeira naquele período foi de R$ 5,9 bilhões, ou 60,5% maior ante o mesmo período do ano anterior. No acumulado de 2021, o lucro ajustado foi recorde – de R$ 21 bilhões, aumento de 51,4% em comparação a 2020.

Velloni, da Frente Corretora, avalia que os resultados das grandes instituições financeiras estão vindo “interessantes”, e também chamam a atenção dos investidores estrangeiros.

Leia mais:
Banco do Brasil (BBAS3): lucro líquido sobe 60,5% no 4º trimestre de 2021, para R$ 5,9 bilhões

A subida do banco estatal também puxa o setor para cima. Banco Pan (BPAN4) sobe 6,18% enquanto o Banco Inter (BIDI11), maior alta de segunda, sobe 4,17%. O BTG Pactual (BPAC11) sobe 4,80%.

Quem também se destaca no pregão desta terça são as empresas de aviação. Azul (AZUL4) sobe 8,26% e GOL (GOLL4) cresce 6,65%. Para o economista-chefe da Frente, a subida pode ser um reflexo da melhora da pandemia de Covid-19, que está fazendo com que as restrições para viajar estejam cada vez menores.

Queda nas commodities prejudica empresas exportadoras

As quedas do Ibovespa se concentram em empresas exportadoras de commodities, principalmente mineradoras e petroleiras. CSN Mineração (CSNA3) lidera as quedas e recua 4,29%. Além dela, 3R Petroleum (RRRP3) cai 3,55% e Vale (VALE3), empresa que mais negocia ações na B3, cai 3,10%.

A queda no preço das ações dessas empresas acompanha a desvalorização de algumas commodities. O barril de petróleo tipo Brent cai 4,39% e é negociado por US$ 91. Já os contratos futuros do minério de ferro na bolsa de Dalian, na China, recuaram 9,7%, para 701 iuanes.

Os temores de uma possível invasão da Ucrânia pela Rússia desencadearam a maior alta dos últimos sete anos nos preços do petróleo, mas notícias de que os russos estariam desmobilizando tropas na fronteira com a Ucrânia reverteram parcialmente este movimento. Na sexta, quando o presidente russo Vladimir Putin ameaçou invadir o país vizinho, o barril chegou a bater US$ 96,48.

Para o economista-chefe da Frente Corretora, Fabrizio Velloni, os preços tendem a voltar a subir nos próximos dias, principalmente o do petróleo. “Com a Rússia sendo a principal produtora da commodity no mundo, até o final da definição do conflito, tende a puxar mais o preço para cima. Em relação ao minério, a aceleração econômica constante da China com o corte da taxa de juros desde janeiro tende deixar a demanda aquecida por mais tempo”, afirma.

Cenário internacional

O anúncio de retirada de tropas russas da fronteira com a Ucrânia animou os mercados, com as bolsas internacionais operando em alta desde a manhã desta terça (15). O movimento do governo russo pode ajudar a reduzir o impasse geopolítico na região.

O porta-voz do Ministério de Defesa da Rússia, Igor Konashenkov, afirmou que unidades militares dos distritos sul e oeste do país começaram a voltar a suas bases. A ministra de Relações Exteriores do Reino Unidos, Liz Truss, afirmou que só acredita que a Rússia não pretende invadir a Ucrânia se todas as tropas forem retiradas.

Com isso, na Europa os índices operam subindo após as baixas de segunda-feira. O índice Euro Stoxx 50 registrava alta de 1,80%. Na Alemanha, o DAX crescia 1,89%, enquanto na Inglaterra, o FTSE 100 subia 0,84%.

Nos Estados Unidos os mercados também sobem. Dow Jones avança 1,33% enquanto o S&P 500 sobe 1,47%. Já o índice Nasdaq aponta em 1,86% para cima.

Por lá, a Secretaria de Estatísticas Trabalhistas dos EUA (BLS) divulgou nesta terça o PPI (índice de preços ao produtor) de janeiro. O resultado apontou alta de 1% nos preços, acima da expectativa de analistas ouvidos pela Reuters, que projetavam alta de 0,5%.

O dado deve ajudar o mercado a calibrar as apostas para as altas nos juros americanos nas próximas reuniões. O ciclo de aumento na taxa básica na maior economia do mundo deve começar no mês que vem, e muitos analistas já preveem altas em todas as reuniões do ano.

Esse cenário é acompanhado com atenção, já que juros mais elevados nos EUA tendem a retirar a atratividade de ativos mais arriscados, como os de países emergentes.

Compartilhe:

Compartilhe: