Navegue:
Gestora dos EUA reduz participação na Vale (VALE3), a queridinha dos analistas brasileiros

Gestora dos EUA reduz participação na Vale (VALE3), a queridinha dos analistas brasileiros

Gestora agora detém 4,904% da mineradora

Celular com logo da Vale

Foto: Shutterstock

Por:

Compartilhe:

Por:

A Vale, empresa que tem o maior peso entre as ações que compõem o Ibovespa e é a queridinha das carteiras recomendadas de analistas, informou na noite desta terça-feira (24) que um dos seus acionistas relevantes resolveu diminuir a participação na companhia.

Em comunicado ao mercado, a mineradora disse que a gestora de recursos americana Capital Research Global Investors (CRGI) reduziu sua fatia na Vale (VALE3) de 5,14% para 4,9%.

A Vale, uma das empresas mais valiosas do país, é avaliada em R$ 420 bilhões, segundo dados da plataforma do TradeMap. A nova fatia da gestora americana equivale a cerca de R$ 1,1 bilhão.

A CRGI, divisão independente da Capital Research and Management Company, detém na Vale o correspondente a 245.154.011 ações ordinárias da companhia. Outras duas divisões da empresa, a Capital World Investors e a Capital International Investores, são donas de participações de, respectivamente, 6,39% e 2,95% na companhia.

“Trata-se de um investimento minoritário que não altera a composição do controle ou a estrutura administrativa da companhia”, disse o comunicado.

Apesar de a CRGI ter optado por se desfazer de papéis da Vale, a mineradora segue sendo a preferida dos analistas brasileiros, ostentando o título de ação mais indicada em todos os meses de 2022, segundo carteiras recomendadas consultadas pela Agência TradeMap.

Leia mais:
Pelo 5º mês, Vale (VALE3) é a ação mais recomendada por analistas; Multiplan entra nas carteiras

Entre os fatores por trás da preferência por Vale, os analistas citam os preços do minério de ferro, os altos patamares do dólar, iniciativas de transição energética, o programa de recompra da companhia, a distribuição de dividendos e sua disciplina na alocação de capital.

A ação da Vale fechou o pregão desta terça-feira em alta de 1,35%, ao R$ 84,04. Desde o início do ano, o papel da mineradora acumula valorização de 11,94%.

De acordo com dados da Refinitiv disponíveis no TradeMap, oito das 11 instituições financeiras consultadas recomendam a compra do ativo, enquanto as outras três indicam a manutenção da ação em carteira. A mediana de preços-alvo dos analistas é de R$ 103,58, o que corresponde a alta de 23% em relação aos níveis atuais.

Gráficos com análise de especialistas sobre as ações da Vale
Fonte: TradeMap

Compartilhe:

Compartilhe: