Navegue:
Eletrobras (ELET3): Santo Antônio tem outra cobrança no radar – e esta é de R$ 962 milhões

Eletrobras (ELET3): Santo Antônio tem outra cobrança no radar – e esta é de R$ 962 milhões

Em meados de junho, a Justiça já havia comunicado uma dívida de R$ 645 milhões contra a companhia, que foi cobrada pela Gicom

Logo da Eletrobras em um computador

Foto: Shutterstock

Por:

Compartilhe:

Por:

A Santo Antônio Energia (Saesa), empresa controlada indiretamente pela Eletrobras (ELET3), divulgou que as empresas CNO, Andrade Gutierrez e Novonor (antiga Odebrecht) entraram com uma ação judicial contra a companhia pedindo o pagamento de R$ 962 milhões.

A ação refere-se a uma disputa antiga entre a Saesa e as construtoras que está sendo resolvida num tribunal de arbitragem.

Em fevereiro, o tribunal deu ganho de causa às construtoras e determinou que a Saesa deveria ressarcir as companhias em R$ 1,6 bilhão.

⇨ Acompanhe seus ganhos e gastos e cuide melhor do seu dinheiro. Baixe o GranaMap!

A Saesa, no entanto, pediu esclarecimentos sobre a decisão, o que impediu que a sentença fosse executada, e ontem à noite ressaltou em nota que o procedimento de arbitragem segue “pendente de decisão final”.

A empresa também disse que os valores cobrados pelas construtoras na Justiça estão contemplados entre as despesas que haviam sido anunciadas em março.

Reprise

A cobrança feita pelas construtoras na Justiça é semelhante ao procedimento adotado em abril pelo Grupo Industrial Complexo Rio Madeira, que também pediu na Justiça que a Saesa pagasse uma dívida de R$ 645 milhões que estava sendo discutida em procedimento arbitral.

Neste caso, porém, as duas partes chegaram a um acordo em junho para extinguir a ação. As condições e o valor do acordo, porém, não foram revelados.

Compartilhe:

Compartilhe: