Navegue:
Cyrela (CYRE3) e Eztec (EZTC3) registram queda no lucro do quarto trimestre

Cyrela (CYRE3) e Eztec (EZTC3) registram queda no lucro do quarto trimestre

Cyrela teve lucro líquido de R$ 218 milhões no período e Eztec, de R$ 72,4 milhões

Cyrela - foto divulgação

Foto: Divulgação

Por:

Compartilhe:

Por:

Duas das maiores empresas do setor de constução civil no Brasil, a Cyrela e a Eztec viram o lucro líquido cair nos últimos três meses de 2021, em comparação a igual período do ano anterior, mostram balanços divulgados pelas duas companhias na noite desta quinta-feira (17).

A Cyrela (CYRE3), primeira das duas a divulgar os números, pouco depois do fim do pregão, reportou lucro líquido de R$ 218 milhões no quarto trimestre de 2021, baixa de 16,7% em relação aos R$ 261 milhões anotados em igual trimestre do ano anterior.

No resultado acumulado do ano todo, a direção foi a mesma: o lucro líquido de R$ 914 milhões ficou 48% abaixo do registrado em 2020.

As vendas do quarto trimestre somaram R$ 1,575 bilhão, recuo de 15% na comparação com o último trimestre de 2020. Nos 12 meses de 2021, as vendas registraram R$ 5,531 bilhões, alta anual de 12%.

Os lançamentos do trimestre equivaleram a R$ 2,555 bilhões, 11% abaixo do registrado no mesmo período de 2020. No ano todo, os R$ 7,105 bilhões anotados em 2021 superaram em 22% o reportado no ano anterior.

Eztec também tem retração de resultados

A Eztec seguiu a mesma tendência da Cyrela nos números trimestrais, registrando lucro líquido de R$ 72,4 milhões no quarto trimestre de 2021, queda de 48,1% em relação ao reportado no mesmo período do ano anterior.

Leia mais:
Por que a Eztec (EZTC3) vai pensar duas vezes antes de lançar um empreendimento em 2022

No acumulado de 2021, porém, a empresa registrou seu maior lucro líquido desde 2015, a R$ 430 milhões, alta de 6,1% em relação a 2020.

A receita líquida fechou o trimestre a R$ 176,398 milhões, 32,7% abaixo do reportado nos últimos três meses de 2020. Em 2021, porém, a receita líquida somou R$ 957,8 milhões, alta de 2,3% contra 2020.

O Ebitda seguiu a mesma tendência dos demais indicadores: caiu 29,5% na comparação trimestral, para R$ 53,2 milhões, mas subiu 13,2% na comparação anual, para R$ 320,701 milhões.

Compartilhe: