Navegue:
BTG Pactual acha que comprar ações de grandes bancos é bom negócio, apesar de papéis estarem caindo hoje; veja o porquê

BTG Pactual acha que comprar ações de grandes bancos é bom negócio, apesar de papéis estarem caindo hoje; veja o porquê

Embora inadimplência seja risco, BTG Pactual acha que previsões de resultados mais positivos podem se confirmar

Itaú Unibanco

Foto: Divulgação

Por:

Compartilhe:

Por:

Comprar ações de grandes bancos do Brasil ainda vale a pena, mesmo com a valorização de aproximadamente 11% dos papéis no acumulado de 2022. A avaliação é do Banco BTG Pactual, que espera alta adicional nos preços das ações de Itaú Unibanco (ITUB4), Banco do Brasil (BBAS3) e Bradesco (BBDC4).

“A qualidade dos ativos é definitivamente um assunto, mas 2022 ainda é cedo demais de haver piora suficiente para prejudicar os resultados previstos”, disse o BTG Pactual. “No entanto, devemos ficar de olho nisso porque pode começar a afetar as expectativas para 2023. No curto prazo, porém, vemos mais notícias positivas que negativas, e reiteramos nossa visão positiva para o setor.

Leia mais:
Com escudo contra calotes, bancos não baixam guarda e esperam crescimento; veja análise

No caso do Itaú Unibanco, o BTG aponta que o esforço de digitalização do banco está começando a dar resultados e a expectativa é de expansão da margem financeira líquida, principalmente por meio de cartão de crédito e empréstimos pessoais – áreas de negócio que tiveram desempenho mais fraco durante a pandemia de Covid-19.

O Itaú Unibanco espera retorno sobre o patrimônio líquido (ROE, na sigla em inglês) de 20% no final deste ano, e segundo o BTG Pactual, os números do quarto trimestre do ano passado mostram que isso é possível.

Para o Banco do Brasil, a previsão é de aumento na carteira de crédito, mas de expansão ainda mais rápida na margem financeira por causa do custo relativamente baixo de funding. A receita com tarifas, porém, deve ser prejudicada pelo Pix.

O BTG Pactual diz que a inadimplência nos empréstimos do banco deve crescer gradualmente em 2022, mas que o Banco do Brasil considera que está bem amparado pelas provisões contra perdas deste ano.

O Bradesco espera que a margem financeira cresça menos que a carteira de crédito em 2022, diferentemente de seus concorrentes, o que o BTG Pactual atribuiu ao fato de a estimativas serem mais conservadoras. “Se o Itaú e o Banco do Brasil entregarem o que previram, pode haver potencial de alta para o lucro do Bradesco também”, disse o banco.

Por volta das 15h20 (de Brasília), as ações do Itaú Unibanco caíam 1,87%, para R$ 24,21, enquanto as do Bradesco recuavam 2,21%, a R$ 19,48. Os papéis do Banco do Brasil recuavam 2,92%, a 32,91.

O BTG Pactual recomenda a compra dos três bancos, com preços-alvo de R$ 33 para o Itaú Unibanco (potencial de alta de 36%), R$ 29 para o Bradesco (+49%) e R$ 45 para o Banco do Brasil (+37%).

Compartilhe: