Navegue:
Prejuízo da CVC no 1º trimestre é de R$ 81,5 mi, queda de 92,9%

Prejuízo da CVC no 1º trimestre é de R$ 81,5 mi, queda de 92,9%

Segundo a empresa, o prejuízo é resultado do impacto causado pela pandemia da covid-19, especialmente no Brasil

CVC, foto de Roberto Tamer - Divulgação
Por:

Compartilhe:

Por:

 O prejuízo líquido da operadora de turismo CVC (CVCB3) foi de R$ 81,5 milhões no primeiro trimestre de 2021, de acordo com resultado corporativo divulgado na sexta-feira, 14. O valor representa uma queda de 92,9% em relação ao prejuízo observado no mesmo período do ano passado, que foi de R$ 1,15 bilhão. 

De acordo com a CVC, o prejuízo obtido nos três primeiros meses deste ano é consequência do impacto causado pela pandemia do coronavírus, especialmente no Brasil. 

“No primeiro trimestre do ano de 2021 fizemos bons progressos na preparação da CVC para liderar a retomada dos negócios, com uma boa evolução financeira, embora os volumes de novas vendas e embarques tenham sido abaixo das expectativas em função das restrições impostas devido ao aumento de casos, nesta nova onda da pandemia covid-19”, informou, na mensagem da administração que acompanha o balanço.

Com isso, a receita líquida apresentou um recuo de 42,7% em relação ao primeiro trimestre do ano passado, somando R$ 165,93 milhões neste ano. As despesas financeiras também diminuíram, cerca de 55,1% no mesmo período, para R$ 25,1 milhões. 

Já o lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda, na sigla em inglês) ficou no negativo entre janeiro e março, mas com sinais de recuperação. No primeiro trimestre do ano passado, o indicador fechou em R$ 298,7 milhões negativos, já neste ano, melhorou 89,6% para R$ 31,1 milhões negativos. 

As reservas confirmadas da CVC no período de janeiro a março foram de R$ 1,33 bilhão, uma queda de 58,7% na comparação anual. Já as reservas totais atingiram o valor de R$ 1,38 bilhão, 65,4% a menos que o mesmo período de 2020. 

Mesmo assim, a dívida líquida da empresa não aumentou neste começo de ano. Ao final de março, “a dívida bruta da CVC Corp encerrou o período com R$ 1,3 bilhões. Esse valor apresenta redução na comparação com 4T20, seguindo os pagamentos realizados de acordo com as condições da renegociação de dívidas, encerrada em novembro de 2020.” 

→ Veja também: CVC Brasil sobe mais de 4% após aquisição de empresas argentinas

Outras informações do relatório 

Em janeiro, a CVC realizou a quinta emissão de debêntures no valor de R$ 436,4 milhões e vencimento em 10 de junho de 2023. Os recursos captados serão integralmente usados para o pagamento antecipado do passivo financeiro junto ao Citibank.

De acordo com a empresa, o processo de capitalização, lançado em 9 de julho de 2020, encerrou com a conclusão da segunda etapa, num montante total integralizado ao capital de R$ 665,6 milhões. 

“A primeira fase desse processo foi encerrada em setembro de 2020 e totalizou R$ 301,7 milhões, com a integralização de 100% do total proposto. A segunda etapa, concluída e comunicada ao mercado em 3 de fevereiro de 2021, resultou em um aumento adicional de capital de R$ 363,9 milhões”, segundo balanço financeiro.

Compartilhe: