Navegue:
Ambev (ABEV3) vende mais e lucro aumenta 4,2% no segundo trimestre de 2022

Ambev (ABEV3) vende mais e lucro aumenta 4,2% no segundo trimestre de 2022

Margem Ebitda da companhia foi de 30,8%, uma queda em relação aos 33,7% registrados em igual período anterior

Caixas de marcas da Ambev

Foto: Shutterstock

Por:

Compartilhe:

Por:

Em um segundo trimestre com recorde no volume de bebidas comercializado, cerca de 40 milhões de hectolitros, a Ambev viu seu lucro líquido ajustado crescer 4,2%, para R$ 3,08 bilhões. Em igual período do ano passsado, a empresa anotou um montante de R$ 2,96 bilhões.

O avanço ocorre juntamente com o aumento na receita líquida da Ambev, que atingiu R$ 17,98 bilhões no trimestre, representando um avanço de 14,5%, na comparação anual.

“Apesar do aumento da inflação em nossos mercados, nossa estratégia comercial continuou a impulsionar nosso desempenho de receita, uma vez que a recuperação das ocasiões fora de casa continuou”, afirma a Ambev no comunicado sobre os resultados.

A receita líquida, além de ser maior em relação ao mesmo período anterior, supreendeu as expectativas do BTG, do Itaú BBA e da XP. Respectivamente, essas instituições financeiras projetavammontantes de R$ 17,31 bilhões, R$ 17,95 bilhões e R$ 17,46 bilhões.

Ambev destaques 2t22
Arte: Rachel Santos/TradeMap

O Ebitda (lucro antes dos juros, impostos, amortização e depreciação) ajustado avançou 4,7% no segundo trimestre deste ano na comparação com o intervalo de abril a junho de 2021, atingindo R$ 5,53 bilhões.

O montante também veio acima das expectativas de agentes do mercado. A XP, por exemplo, projetava R$ 4,13 bilhões e o BTG esperava R$ 4,09 bilhões.

Já a margem Ebitda alcançou 30,8%, uma queda em relação aos 33,7% anotados em igual período anterior.

“Para o resto do ano, esperamos um desempenho da receita à frente da recuperação do Ebitda. Estamos mais confiantes em nossa capacidade de entregar crescimento orgânico do Ebitda ajustado à frente do crescimento de 2021, apesar dos desafios de curto prazo e volatilidade”, destacou a Ambev.

Volume e custos

O volume vendido, além de recorde, cresceu 6,1% na comparação com o segundo trimestre do ano passado. A empresa atribuiu o avanço a um maior número de pessoas passando a consumir bebidas fora de casa.

“Este trimestre marca a primeira vez que vendemos mais de 40 milhões de hectolitros em um segundo trimestre, liderado pelo desempenho de vendas de cervejas e de bebidas não-alcóolicas (NAB) no Brasil”, disse Jean Jereissati, CEO da Ambev, no comunicado.

O volume de cerveja no Brasil aumentou 8,5% no comparativo anual, e o de não-alcóolicas cresceu 16,2%.

Apesar do avanço em receitas e volume, a empresa viu os custos dos produtos vendidos aumentar 17,69% no comparativo anual, passando de R$ 7,96 bilhões no segundo trimestre do ano passado para R$ 9,37 bilhões agora.

De acordo com a Ambev, a alta no preço das commodities foi um fator determinante para esse aumento.

Refinitiv Ambev 28.07
Arte: Rachel Santos/TradeMap

Compartilhe:

Compartilhe: