Navegue:
Acordos da Õmega (MEGA3) fazem preço da ação disparar – e Bank of America explica o porquê

Acordos da Õmega (MEGA3) fazem preço da ação disparar – e Bank of America explica o porquê

Acordos preveem injeções de capital que favorecem expansão mais acelerada da companhia

turbinas eólicas e painéis solares

Foto: Shutterstock

Por:

Compartilhe:

Por:

As ações da Ômega Energia (MEGA3) sobem mais de 15% e estão entre as maiores altas da Bolsa nesta terça-feira (28), depois de a empresa anunciar duas parcerias que podem turbinar seus investimentos nos próximos anos.

A primeira e mais relevante é com a Actis, empresa britânica de investimentos, que deve assumir uma fatia de 10% na Ômega e se comprometeu a injetar até R$ 850 milhões na companhia por meio da compra de novas ações. A segunda é com uma empresa dos EUA, cujo nome não foi revelado, para investimentos de US$ 500 milhões em projetos de energia no país.

O compromisso de investimento da Actis só valerá a partir do momento em que a empresa britânica alcançar uma fatia de 10% na Ômega.

⇨ Acompanhe as notícias de mais de 30 sites jornalísticos de graça! Inscreva-se no TradeMap!

Segundo o Bank of America, mesmo sem a garantia de que isso acontecerá, os acordos favorecem a companhia brasileira porque oferecem suporte financeiro a planos de expansão e forçam o mercado a ver a Ômega com um olhar mais positivo.

Além disso, aumentam o potencial de retorno aos acionistas minoritários da empresa e melhoram a governança, ao distribuir os assentos do conselho de administração entre mais acionistas, acrescentou o banco.

O Bank of America recomenda a compra das ações da Ômega Energia com preço-alvo em R$ 16. Hoje, por volta das 14h30, os papéis da companhia subiam 15,88%, para R$ 11,82.

O banco não é o único com perspectivas positivas para a Ômega. Dentre oito instituições financeiras consultadas pela Refinitiv, apenas uma tem recomendação neutra para as ações da empresa. As demais indicam a compra dos papéis.

Ainda de acordo com os dados, que estão disponíveis na plataforma TradeMap, a instituição mais pessimista adota preço-alvo de R$ 13 por ação, enquanto a mediana de preços-alvo colhidos está em R$ 15,60.

Compartilhe:

Compartilhe: