Navegue:
Ações de elétricas caem em dia de definições sobre conta de luz e Eletrobras (ELET6)

Ações de elétricas caem em dia de definições sobre conta de luz e Eletrobras (ELET6)

Presidente da Câmara afirmou que espera do governo uma proposta viável para a redução da tarifa de energia

Poste de transmissão de energia

Foto: Shutterstock

Por:

Compartilhe:

Por:

A maioria das ações de companhias de energia elétrica opera em queda nesta quarta-feira (18), em um dia de definições importantes para o setor, como o resultado das negociações em Brasília para o reajuste da conta de luz e o avanço das discussões no TCU (Tribunal de Contas da União) sobre a proposta de capitalização da Eletrobras.

Por volta das 16h10, a ação com maior tombo era a da Equatorial Energia (EQTL3), com recuo de 3,37%, enquanto a CPFL (CPFE3) caía 1,83% e a Copel (CPLE6), 0,14%. A Eletrobras (ELET6), por sua vez, tinha desvalorização de 0,82%.

Fonte: TradeMap

Em Brasília, o novo ministro de Minas e Energia, Adolfo Sachsida, discutiu nesta quarta a questão do reajuste da conta de luz com o presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP-AL), representantes da Aneel (Agência Nacional de Energia Elétrica), líderes de partidos e representantes da sociedade civil.

Após o encontro, Lira disse à imprensa que espera “em um prazo bastante curto” um encaminhamento por parte do Ministério de Minas e Energia de uma proposta viável para redução da tarifa de energia.

As discussões se concentram na viabilidade do PDL 94/22 (Projeto de Decreto Legislativo de Sustação de Atos Normativos do Poder Executivo). O texto, de autoria do deputado Domingos Neto (PSD-CE), que tramita na Casa, suspende a decisão da Aneel que autorizou o reajuste da conta de luz dos consumidores atendidos pela Enel Distribuição, no Ceará.

“Tivemos uma reunião bastante produtiva, onde o ministro Sachsida saiu daqui com a incumbência de se reunir com as distribuidoras, com a Aneel e com os parlamentares para discutir uma saída equilibrada para que possa, a partir desse momento, ter um encaminhamento de solução para diminuição desse repasse que, apesar de contratual, pode ser minimizado no momento ainda de grande dificuldade com a retirada da bandeira e com incremento desse aumento por das distribuidoras”, ressaltou Lira.

O presidente da Câmara acrescentou que espera que a solução “venha da sensibilidade da Aneel e das distribuidoras, que fazem das concessões, neste momento do Brasil, um tema de muita discussão”.

A expectativa é que até o final desta quarta o ministro de Minas e Energia leve ao Legislativo novidades sobre as discussões.

Capitalização da Eletrobras

Em paralelo, o TCU retomou nesta quarta a discussão sobre a capitalização da Eletrobras, já aprovada no Congresso, mas que depende do aval do tribunal para seguir adiante.

Na terça (17), o presidente da empresa, Rodrigo Limp, disse que, em um cenário positivo, a conclusão da operação de privatização da empresa poderá ocorrer até meados de agosto.

“Esse é o cenário mais favorável”, disse Limp, em entrevista coletiva online sobre os resultados do primeiro trimestre, afirmando que essa é a melhor janela de mercado, coincidindo com as férias no Hemisfério Norte e antes do período eleitoral no Brasil.

A diretora Financeira e de Relações com Investidores, Elvira Presta, afirmou também que é precipitado falar de datas para o road show (apresentação de uma empresa e seus produtos para investidores). “Nós só conseguiremos montar a agenda [do road show] depois da aprovação pelo TCU”, acrescentou Elvira.

Nesta quarta, ministro do TCU Vital do Rêgo chegou a propor um novo adiamento da análise da capitalização, o que atrasaria o processo, mas os demais membros da corte decidiram pela continuidade das discussões.

Compartilhe: