Navegue:
A guerra começou, balanço da Vale e o que mais você precisa saber para investir bem hoje

A guerra começou, balanço da Vale e o que mais você precisa saber para investir bem hoje

Investidores ainda acompanham resultados da Ambev e da Azul e repercutem balanço da Petrobras

Foto: Shutterstock
Por:

Compartilhe:

Por:

Os mercados prometem um dia de forte volatilidade nesta quinta (24). Após quatro meses de ameaças, a Rússia invadiu a Ucrânia entre a noite de ontem e a madrugada de hoje, com ação militar não somente nas regiões separatistas que foram reconhecidas como independentes, mas também em outras cidades do país.

O presidente russo, Vladimir Putin, fez ameaças em discurso, afirmando que aqueles que tentarem interferir sofrerão consequências nunca vistas antes.

As bolsas europeias e asiáticas despencam, e os futuros americanos operam em forte queda nesta manhã. O preço do petróleo ultrapassou US$ 100 pela primeira vez desde 2014. A bolsa de Moscou suspendeu as operações.

Às 7h19, o Euro Stoxx 50 caía 4%. O índices futuro do Dow Jones operava em queda de 1,82%, o S&P 500 caía 1,78% e o Nasdaq 2,22%.

Em discurso, o presidente americano, Joe Biden, disse que a Rússia escolheu uma guerra que terá como consequência perdas catastróficas. Nas próximas horas, Estados Unidos e Europa devem anunciar novas sanções para atingir a economia russa.

No que o mercado está de olho? Após o reconhecimento das províncias ucranianas, a dúvida é se a Rússia irá avançar sobre mais territórios ou se o conflito ficará localizado no leste do país.

A possibilidade de uma guerra preocupa os mercados porque a Rússia é um dos maiores produtores de petróleo, gás e fertilizantes do mundo. Além disso, o território ucraniano é passagem dos gasodutos que transportam o gás natural russo à Europa.

Um ataque na região poderia colocar ainda mais pressão nos preços de energia e de alimentos, impulsionando a inflação global.

Taxa de desemprego, PIB dos EUA e Petrobras

Durante o dia, investidores ainda acompanham a taxa de desemprego em dezembro, que será divulgada às 9h pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), e a segunda revisão do  PIB (Produto Interno Bruto) americano do quarto trimestre.

Os investidores ainda repercutem o balanço do quarto trimestre da Petrobras, que foi divulgado na noite de ontem e que mostrou queda de 47,4% no lucro líquido.

Leia mais

O dia ainda tem balanço do quarto trimestre da Vale.

Balanços

Antes da abertura do mercado, Ambev (ABEV3) e Azul (AZUL4) divulgam seus resultados do quarto trimestre. JHSF Participações (JHSF3), Hypera (HYPE3), Americanas (AMER3), CCR (CCRO3), Fleury (FLRY3), IRB Brasil (IRBR3) e Vale (VALE3) informam seus balanços após o fechamento.

Veja abaixo a agenda completa: 

Às 8h, a FGV divulga a Sondagem da Indústria de fevereiro.

Às 9h, o IBGE informa a taxa de desemprego em dezembro e em 2021.

Às 9h30, sai a nota de crédito do Banco Central, com informações sobre empréstimos, juros e inadimplência de consumidores e empresas em janeiro.

Às 10h30, o Fed informa o Índice de Atividade Nacional (CFNAI) de janeiro.

Às 10h30, o DoL (Departamento do Trabalho) dos EUA divulga os pedidos de auxílio desemprego atualizados até 18 de fevereiro.

Às 10h30, será divulgado o PIB dos Estados Unidos no quarto trimestre.

Às 13h, o DOE (Departamento de Energia) dos EUA divulga a atualização dos estoques de petróleo bruto.

 

Compartilhe:

Compartilhe: