Navegue:
Petz (PETZ3) aprova incorporação das ações com Zee.Dog

Petz (PETZ3) aprova incorporação das ações com Zee.Dog

Com a aprovação, houve aumento do capital social da Petz no montante de R$ 535 milhões

Petz foto divulgação 1

Foto: Petz/Divulgação

Por:

Compartilhe:

Por:

Os acionistas da Petz aprovaram a incorporação das ações da Zee.Dog por meio de uma assembleia geral extraordinária (AGE) realizada na quinta-feira, 16. Dessa forma, a companhia adquirida em agosto deste ano passará a ser uma subsidiária integral da maior rede de pet shops do Brasil.

Com a aprovação, houve aumento do capital social da Petz no montante de R$ 535 milhões, mediante a emissão de mais de 23,7 milhões de papéis ordinários, a serem subscritos por acionistas da Zee.Dog.

Em nota enviada à Comissão de Valores Mobiliários (CVM), a companhia destacou que será assegurado aos acionistas que não aprovaram a deliberação o direito de se retirarem do grupo.

Ontem, os papéis da Petz (PETZ3) fecharam a sessão em queda de 2,61%, a R$ 18,67. Em um ano, as ações seguem praticamente estáveis, com leve recuo de 0,09%. Acompanhe a cotação em tempo real pelo TradeMap.

Negócio bom pra cachorro

A Petz comprou a Zee.Dog por R$ 715 milhões por meio da incorporação de ações, uma parcela paga à vista na efetivação da aquisição e o restante será quitado em dinheiro daqui cinco anos.

Na época, a empresa havia ressaltado que a operação representa um movimento único de transformação e consolidação no mercado pet, uma vez que o grupo quer ser mundialmente reconhecido como o “melhor ecossistema do segmento” até 2025.

A aquisição também inclui as subsidiárias Zee Now Comércio de Produtos para Animais S.A., Zee Dog LLC, Shenzen Zee Dog Business Co., Ltd., Zee Dog BV e Lolopet Alimentos Naturais S.A.

Leia também:

Petz compra plataforma Cansei de Ser Gato

Zee.Dog

Fundada em 2011 pelos irmãos Felipe e Thadeu Diz e Rodrigo Monteiro, a marca se tornou a plataforma pet mais disruptiva do mundo nos últimos anos e tem presença em mais de 45 países.

Para 2021, a expectativa é de que a companhia tenha um faturamento bruto de R$ 228 milhões, representando uma expansão de 83% em comparação ao período acumulado do ano passado.

Enquanto o resultado operacional medido pelo Ebitda (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização, na sigla em inglês), após sinergias, deve atingir a marca de R$ 22 milhões.

Compartilhe:

Compartilhe: