Navegue:
Petrobras (PETR4) aumenta previsão de investimento para US$ 68 bi até 2026

Petrobras (PETR4) aumenta previsão de investimento para US$ 68 bi até 2026

Petrobras - Tânia Rêgo/Agência Brasil

Por:

Compartilhe:

Compartilhar no twitter
Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp

Por:

A Petrobras aumentou a previsão de investimento para os próximos anos, prevendo um total US$ 68 bilhões entre os anos de 2022 a 2026. A maior parte dos recursos será destinada a atividades de exploração e produção de petróleo, com foco no pré-sal, que receberá pouco mais de R$ 36 bilhões. Os números fazem parte da edição mais recente do plano estratégico da companhia, divulgado ontem à noite.

A expectativa da Petrobras é de que, com os investimentos, a produção de petróleo suba de 2,1 milhões para 2,6 milhões de barris por dia (bpd) até 2026. Antes, a companhia previa que a produção partiria de níveis mais altos – 2,3 milhões de bpd -, mas permaneceria estável nos anos seguintes.

Junto com a produção maior, o custo de extração de petróleo e outros produtos deve diminuir. A Petrobras estima que gastará em média US$ 4,80 por barril de óleo equivalente (boe) no período de 2022 a 2026. No período de 2016 até 2020, este custo foi quase duas vezes maior, em média, de US$ 8,00 por boe. Os números não consideram as despesas da companhia com afretamento e as participações do governo.

Com isso, o custo total do petróleo produzido pela Petrobras deve chegar a US$ 20 por barril. Isso quer dizer que a empresa teria lucro quando o barril ficasse acima deste valor. Atualmente, o preço do petróleo tipo Brent está em US$ 82,22 por barril.

 

capex petro
Fonte: Petrobras / TradeMap

Refino e outras áreas

A Petrobras também divulgou que pretende investir US$ 7,1 bilhões em refino, gás e energia, e que boa parte destes investimentos serão direcionados à fabricação de produtos de maior qualidade.

A previsão da companhia é substituir inteiramente o diesel S-500 – que hoje corresponde a 53% de todo o diesel produzido pela Petrobras – pelo S-10 até 2026. A diferença entre as duas variedades é que a S-500 possui muito mais enxofre.

O plano estratégico prevê ainda que a empresa pretende sair integralmente dos negócios de fertilizantes e de biodiesel e da distribuição e do transporte de gás.

A Petrobras também assumiu o compromisso de neutralizar emissões de gases causadores do efeito estufa nas atividades sob o controle da companhia. A meta de curto prazo é reduzir as emissões em 25% até 2030. Ela indicou que vai investir US$ 2,8 bilhões em iniciativas para atingir este objetivo.

Outro ponto do plano da Petrobras é a criação de um fundo de US$ 248 milhões para incentivar o desenvolvimento de soluções que diminuam as emissões de carbono,

Compartilhe:

Compartilhar no twitter
Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp

Compartilhe:

Compartilhar no twitter
Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp