Vendas do varejo registram alta de 0,7% em setembro, diz IBGE

Varejo sobre 0,7% em setembro, diz IBGE - Getty Images

As vendas de varejo cresceram 0,7% em setembro, como aponta o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). O resultado, que tem como comparativo o mês de agosto, é o quinto consecutivo a fechar com desempenho positivo. Ao todo, o segmento acumula ganho de 2,4%.

Os dados fazem parte da Pesquisa Mensal do Comércio (PMC), divulgado pelo instituto nesta terça-feira, 13, e incluem oito ramos do comércio – excluindo veículos e material de construção.

Comparado a setembro do ano passado, o varejo reportou crescimento de 2,1%, o que representa a sexta alta seguida.

“Os índices do setor comercial foram positivos tanto para o fechamento do terceiro trimestre de 2019 (2,6%), como para o acumulado dos nove primeiros meses do ano (1,3%), ambas as comparações contra iguais períodos do ano anterior”, informou o IBGE.

Varejo ampliado

No varejo ampliado, que inclui as atividades de veículos, motos, partes de peças e de material de construção, o volume de vendas expandiu 0,9% no comparativo com agosto de 2019. Segundo o IBGE, o resultado mostra a sétima taxa positiva consecutiva, período em que acumulou ganho de 4%.

Em relação ao mesmo período do ano passado, o comércio varejista ampliado cresceu 4,4% – a sexta alta seguida. Dessa forma, o varejo ampliado cresceu 3,6% no indicador acumulado no ano e de 4,4% no terceiro trimestre de 2019.

Atividades positivas

Segundo o instituto, sete das oito atividades pesquisadas pela PMC obtiveram resultados positivos em setembro, o que contribuiu para a taxa de 0,7%. Entre os destaques, estão:

  • móveis e eletrodomésticos (5,2%)
  • tecidos, vestuário e calçados (3,3%)
  • outros artigos de uso pessoal e doméstico (1,8%)
  • combustíveis e lubrificantes (1,2%)
  • artigos farmacêuticos, médicos, ortopédicos, de perfumaria e cosméticos (0,5%)
  • hipermercados, supermercados, produtos alimentícios, bebidas e fumo (0,2%)
  • livros, jornais, revistas e papelaria (0,2%)

“A única taxa negativa ocorreu em Equipamentos e material para escritório, informática e comunicação (-2,0%), após avanço de 3,8% no mês anterior”, alegou o IBGE.

Foto: Getty Images