Produção industrial recua, de acordo com dados do IBGE

Produção Industrial
Logo Trademap

Por:

Compartilhe:

Compartilhar no twitter
Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp

Por:

Dados do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) divulgados hoje, 3, revelam que a produção industrial caiu 0,3% em julho, na comparação com junho. De acordo com órgão público, o número representa o terceiro mês negativo seguido e acumula -1,7% ao ano.

Em relação a julho de 2018, o resultado foi de 2,5% negativo e, em um ano, recuou 1,3%. Ambos os resultados foram piores dos estimados por analistas da Reuters Brasil: alta de 0,3% sobre o mês anterior e queda de 1,3% na base anual.

Para André Macedo, gerente da pesquisa do IBGE, apesar de ser o terceiro mês seguido negativo, o perfil de julho é diferente do observado em maio e junho deste ano. “antes, o perfil de recuo era disseminado. Já em julho, 15 das 26 atividades estão positivas, indicando uma concentração de resultados negativos”, afirma.

IBGE - Produção industrial

Segundo o instituto, os destaques negativos ficaram com produtos químicos (-2,6%), bebidas (-4%), alimentos (-1%) e equipamentos eletrônicos e de informática (-3,3%). Em contrapartida, a indústria extrativa cresceu 6 pontos percentuais, o que representa o terceiro resultado positivo nesta comparação.

Leia também:   Aprovação da PEC dos Precatórios pode trazer rali adicional para ativos brasileiros

No quadro por grandes categorias econômicas, somente bens intermediários apresentaram queda, tanto na comparação com julho do ano passado (-5,4%), quanto no acumulado no ano (-3%). Em ambos os casos, a categoria sofreu pressão da indústria extrativa.

“São duas visões diferentes da mesma atividade. Na margem, observamos uma recuperação parcial da extração de minério de ferro, devido à reabertura gradativa de sítios de mineração, após um período de suspensão para fiscalização. Porém, frente a 2018, a base de comparação é alta e percebe-se claramente que ainda há muita influência do rompimento da barragem de Brumadinho”, conclui Macedo.

Foto: Paulo Emílio

Compartilhe:

Compartilhar no twitter
Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp

Compartilhe:

Compartilhar no twitter
Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp

BLACK

WEEK

tag
Dias
Horas
Min.
Seg.