Análise Fundamentalista - Foto de Unsplash

Em outras áreas é comum analisarmos determinados aspectos antes de chegarmos, de fato, a alguma decisão, certo? Na saúde, por exemplo, se tomarmos um remédio para dor de cabeça logo vamos evitá-la. Não muito diferente disso, no mercado financeiro também existem estratégias importantes na hora de começar a investir, como a Análise Fundamentalista.

Por conta disso, muitos investidores utilizam recursos que os ajudam no direcionamento financeiro. Uma dessas táticas é a Análise Fundamentalista, trilhada pelo economista britânico Benjamin Graham.

Um dos métodos difundidos por Graham consiste em comprar ações baratas, mas com forte valorização no futuro. Essa técnica, conhecida como “buy and hold”, é fundamentada em vender tais papéis após ganharem valor no médio ou longo prazo. E é neste meio termo que a Análise Fundamentalista entra em cena!

Bom, a partir de agora vamos passar por todos os tópicos que abrangem a Análise Fundamentalista e deixar tudo da forma mais clara possível! Vamos nessa, marujo?

Afinal, o que é a Análise Fundamentalista?

O próprio nome já dá uma dica de como é realizada essa tal análise, não? Pois bem, ela tem como base certos fundamentos que focam na saúde econômica e na potencial expansão financeira de uma determinada empresa.

Perguntas relacionadas à Análise Fundamentalista (Infográfico: TradeMap)
Perguntas relacionadas à Análise Fundamentalista (Infográfico: TradeMap)

No entanto, apesar ser associada ao mercado de ações, a Análise Fundamentalista pode ser aplicada em outras áreas e, até mesmo, em setores.

Conforme a Análise Fundamentalista avalia um fator com base em estudos e dados econômicos ligados a um negócio e expectativas futuras, ela pode ser utilizada, inclusive, em títulos de renda fixa.

Dito isto, podemos partir para o próximo tópico! Vamos nessa?

Como eu calculo a Análise Fundamentalista?

Existem várias formas para você analisar uma empresa e decidir, afinal, se vale ou não a pena investir nela. Por conta disso, essa análise avalia o cenário macro e micro. Vejamos a seguir:

Em relação ao cenário macro, podemos dizer como a companhia age no sentido mais amplo, tanto em comparação ao seu posicionamento no ambiente macroeconômico global, quanto em um potencial risco de mercado. Por isso, quanto mais firme for seu setor, melhor será.

Já olhando pelo lado micro, aqui podemos observar como a empresa se comporta internamente, antes de tudo. Esse fator diz muito da gestão da companhia, uma vez que se ela for ruim logo afetará nos seus resultados futuros.

Juntos, esses dois fatores constroem uma base sólida para avaliar uma empresa. Mas não são os únicos. Vejamos no próximo tópico:

Análise: quantitativa x qualitativa

Assim como já falamos anteriormente, a Análise Fundamentalista abrange vários aspectos para chegar a uma medida final sobre a empresa. Por isso, também é possível dividirmos os fundamentos em quantitativos e qualitativos:

  • Quantitativo: é tudo o que pode ser medido em números, como os balanços ou demonstrativos financeiros
  • Qualitativo: é tudo o que pode ser relacionado à qualidade ou caráter, como o nível de governança corporativa ou reconhecimento de sua marca

→ Leia também: governança corporativa na B3

Esses dois aspectos costumam ser analisados em conjunto, uma vez que são complementares. Se por acaso você for analisar uma determinada empresa, logo estudará seus dados financeiros, assim como sua reputação no mercado.

Partindo desse princípio entre diferenças podemos seguir para o próximo bloco:

Qual a diferença da Análise Fundamentalista para a Técnica?

Apesar da Análise Fundamentalista ser bem famosa no mercado financeiro, ela não é a única utilizada entre os investidores. Há também uma ferramenta chamada Análise Técnica, mas você sabe a diferença entre elas? Veja só:

  • A Análise Fundamentalista estuda a saúde financeira de uma empresa, dados econômicos e comerciais e perspectivas de preço do ativo no futuro
  • Por sua vez, a Análise Técnica avalia o movimento do ativo a partir de um gráfico, com base em expectativas com prazos menores, entre semanas, dias ou, até mesmo, horas

Por conta disso, elas são indicadas para diferentes planejamentos. Enquanto a Fundamentalista é cotada para o longo prazo, a Técnica é recomendada para o curto prazo.

Que tal ver um quadro comparativo para facilitar o entendimento, hein?

Diferenças entre a Análise Fundamentalista e Análise Técnica (Infográfico: TradeMap)
Diferenças entre a Análise Fundamentalista e Análise Técnica (Infográfico: TradeMap)

Agora que você já sabe as principais diferenças pode testá-las para diferentes funções, certo?

No TradeMap

Depois desse artigo, você já consegue identificar os aspectos da Análise Fundamentalista facilmente, não é mesmo? Por isso, o TradeMap te ajuda a encontrar informações financeiras sobre as companhias listadas na bolsa brasileira.

Basta clicar na ação desejada e, logo em seguida, acionar o botão “Rx” (na parte inferior da tela). Depois deste procedimento, você terá acesso a uma tela com dados financeiros da companhia. Desse jeitinho:

Ainda não conhece o TradeMap?
O mercado financeiro no seu bolso! Grátis e em tempo real!

Baixe agora mesmo

Deixe seu comentário abaixo e participe também deste artigo! Até a próxima, marujo!

Foto: Unsplash

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no twitter
Compartilhar no email
Compartilhar no telegram
Compartilhar no reddit