Esfriou? China dá sinais de relutância em acordo comercial com os EUA, diz jornal

China and EUA - Getty Images

A matéria publicada pela Bloomberg neste domingo, 6, gerou repercussão no mercado global, após dizer que autoridades da China estão sinalizando cada vez mais relutância em concordar com um amplo acordo comercial firmado pelo presidente dos Estados Unidos, Donald Trump.

Na próxima quinta-feira, 10, representantes comerciais das duas maiores economias do mundo vão se encontrar em Washington.

Segundo a matéria, o vice-primeiro-ministro Liu He pretende fechar um acordo comercial com os EUA que não inclui compromissos na reforma política industrial chinesa ou subsídios do governo – as principais queixas de Trump.

Em relação ao inquérito de impeachment do líder dos EUA, fontes próximas ao governo norte-americano apontam que o processo não está afetando as negociações comerciais entre os dois países. No entanto, especialistas acreditam que a China pode ganhar vantagens à medida que os dados econômicos americanos enfraquecem.

Fed

O mercado espera, também, por mais um fala do presidente do Federal Reserve (banco central americano), Jerome Powell, por volta das 14h.

Carne suína

A Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA) informou na última sexta-feira que as exportações de carne suína do Brasil cresceram 2,6% em setembro no comparativo anual. O número atingiu a marca de 58 mil toneladas.

“As vendas para a Ásia, especialmente para a China, mantêm as exportações brasileiras de carne suína em fluxo positivo”, afirmou em nota o presidente da ABPA, Francisco Turra.

→ Leia também: Importações de carne suína pela China crescem 76% em agosto; frigoríficas brasileiras se beneficiam

Foto: Getty Images

Escrever um comentário