O que são as figuras gráficas na Análise Técnica?

Saiba mais sobre as figuras gráficas de continuidade e reversão, ferramentas essenciais na análise técnica

Logo Trademap

Por:

Compartilhar no twitter
Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no email
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp

Por:

Para ser um bom investidor, é muito importante que você saiba analisar gráficos e indicadores de cada companhia. 

Esse processo pode ser realizado a partir da Análise Técnica, que avalia o movimento do ativo a partir de um gráfico, com base em expectativas com prazos menores, entre semanas, dias ou, até mesmo, horas.  





Por isso, nós, do TradeMap, trouxemos para você as principais figuras da análise gráfica, que basicamente são os desenhos gráficos formados a partir da movimentação do valor do ativo.

Elas podem ser muito úteis na interpretação da movimentação dos valores dos ativos, e estão divididas entre figuras de continuidade e de reversão. Acompanhe e confira as principais informações sobre cada figura gráfica!

Figuras gráficas de continuidade 

As figuras gráficas de continuidade, como o próprio nome indica, sugerem a continuidade do movimento. Por exemplo, em casos de tendência de alta, o registro deste tipo de figura indica maior probabilidade de continuidade desta alta.  

  • Retângulo: os retângulos podem aparecer tanto em tendências de alta quanto de queda. Os valores ficam lateralizados, indicando consolidação, e a entrada deve ocorrer no rompimento do retângulo. 
Leia também:   Relatório: setor aéreo

  • Bandeira: a bandeira também pode aparecer tanto em alta, quanto em queda. Ela ocorre um movimento direcional seguido de uma correção sutil, formando um desenho similar à uma bandeira. A entrada na operação deverá ocorrer no rompimento da bandeira, com stop na extremidade oposta e alvo de amplitude igual à do mastro da figura.





  • Flâmula: a flâmula se difere da bandeira por conta da correção, que aparece em forma de triângulo. Seu modelo de operação é o mesmo da anterior, e esta figura também pode aparecer tanto em tendência de alta quanto de baixa.

  • Triângulo Simétrico: formado por duas linhas simétricas, indica que a entrada deve ocorrer no rompimento do triângulo, stop na extremidade oposta e alvo até a base do lado rompido. 

  • Triângulo de Alta: é a formação de triângulo em que os lados indicam resistência e tendência de alta. No rompimento da resistência, deverá acontecer a entrada.  O stop ocorre na parte oposta e o alvo deverá ser do mesmo tamanho do primeiro movimento. 
Leia também:   Relatório: setor aéreo

  •  Triângulo de Baixa: este segue o mesmo padrão do triângulo de alta, mas indicando tendência de queda. 

Figuras gráficas de reversão 

Enquanto isso, as figuras gráficas de reversão indicam maior probabilidade de mudança de tendência.  

  • Topo Duplo: é uma das figuras mais fáceis de se detectar em gráficos, caracterizada por dois toques em uma resistência, com perda de fundo anterior na sequência. A entrada deve acontecer no rompimento do fundo, com stop no topo da figura e alvo do tamanho da subida. 

  • Fundo Duplo: este é similar ao Topo Duplo, mas aparece em movimentos de queda. A entrada deve acontecer no rompimento do topo, com stop no fundo e alvo do tamanho da queda registrada anteriormente.
Leia também:   Relatório: setor aéreo

  • OCO (ombro-cabeça-ombro): o OCO acontece após movimentos de alta, sugerindo queda. Há um teste de topo, que é rompido e, posteriormente, retorna ao ponto de partida, formando um topo ainda maior que o registrado anteriormente.  No final do movimento, ocorre uma nova tentativa de subida, que não rompe o topo anterior, retornando ao ponto de partida. A base da figura, chamada de linha pescoço, tem seu rompimento como indicador da entrada em operações de venda. O stop deve ocorrer no topo do “ombro”, e o alvo deve ter a mesma amplitude do último movimento.





  • OCOI (ombro-cabeça-ombro invertido): por fim, esta ocorre depois de movimentos de alta e sugere baixa, em modelo similar ao OCO, além de indicar as oportunidades de compra.

Gostou de saber mais sobre a interpretação de figuras gráficas na análise técnica? Continue acompanhando o blog do TradeMap para acessar mais conteúdos de educação financeira!

Compartilhe:

Compartilhar no twitter
Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no email
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp

Compartilhe:

Compartilhar no twitter
Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no email
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Baixe o App Footer Post
Baixe o App Footer Post 0003 Carteira

Carteira consolidada

Baixe o App Footer Post 0002 historico de Dividendos

Histórico de dividendos

Baixe o App Footer Post 0001 Acompanhamento

Acompanhamento em tempo real

Baixe o App Footer Post 0000 IBOV

Comparação com IBOV, CDI, Dólar e mais