Via Varejo reverte prejuízo e lucra R$ 590 milhões no 3º trimestre

A companhia reforça que sua maior digitalização foi o grande catalizador para o bom desempenho do período analisado

Equipe TradeMap
Equipe TradeMap
Compartilhar no twitter
Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no email
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp

A Via Varejo conseguiu reverter prejuízo do terceiro trimestre de 2019 e lucrou R$ 590 milhões entre os meses de julho e setembro deste ano, mostrando números mais fortes que a média do consenso de mercado.

→ Invista no que nunca perde valor: conhecimento! Inscreva-se no Desafio Investidor Fundamentado, com a Helô Cruz (CFA) – e sem pagar por nada!





A companhia reforça que sua maior digitalização foi o grande catalizador para o bom desempenho do período analisado.

Já as vendas totais (GMV) cresceram 43,4% em relação ao mesmo período de 2019, reflexo da forte expansão das vendas do e-commerce e a retomada das vendas nas lojas. Nos nove primeiros meses de 2020, as vendas atingiram R$ 23,2 bilhões.

Leia também:   SLC Agrícola aprova novo programa de recompra de até 2 milhões de ações

As vendas totais nas lojas físicas avançaram 3,7% quando comparado ao mesmo período do ano anterior. No conceito de vendas nas mesmas lojas (SSS), o crescimento foi de 4,3% na mesma base de comparação.

Enquanto isso, o e-commerce teve crescimento exponencial. As vendas digitais aumentaram 219%. A estabilidade das ferramentas no canal online (Sites e Aplicativos), além das melhorias na experiência do cliente e as iniciativas de marketing foram cruciais para o grande salto do resultado nas vendas online.

No período, o 1P cresceu 294%, com ganhos de marketshare e evolução da rentabilidade e, no 3P, a alta foi de 83,4% no 3T20 ante o 3T19, dada a expansão no número de lojistas e a maior oferta de produtos.





Leia também:   Neoenergia compra participação em subsidiárias da Previ por R$ 220 milhões

O lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda, na sigla em inglês) ajustado foi de R$ 1,2 bilhão no período, com impressionante elevação da margem, finalizando o trimestre em 15,3%, 11,4 pontos percentuais acima do 3º trimestre de 2019.

De acordo com a Via Varejo, a melhora foi resultado da maior venda do canal online, da evolução das vendas nas lojas físicas e das ações de redução de despesas fixas e variáveis.

Com isso, no período em análise, a companhia reverteu o prejuízo para um lucro líquido de R$ 590 milhões.

Dados consolidados - Via Varejo
Fonte: TradeMap Web

Por conta de duas aquisições da I9XP e Distrito, além do aumento nos investimentos para evoluir a sua tecnologia e logística, a alavancagem financeira, medida pela relação caixa líquido ajustado/Ebitda ajustado, ficou em 2x no final do trimestre, ante 0,5x do 3T20.

Leia também:   Petrobras e Gerdau anunciam parceria para fornecer gás natural no mercado livre

O caixa líquido ajustado da companhia encerrou o trimestre em R$ 3,366 bilhões.

Para o próximo trimestre, a Via Varejo acredita na continuidade do aumento em suas vendas, por conta da Black Friday e o Natal, tanto que vem até reforçando seu estoque.

banner curso helo 4

Para saber mais detalhes sobre a companhia, acesse o TradeMap Web e veja a Lâmina de Empresa do VVAR3.

Foto: Sergio Moraes/Reuters





Compartilhe:

Compartilhar no twitter
Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no email
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp

Compartilhe:

Compartilhar no twitter
Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no email
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Baixe o App Footer Post
Baixe o App Footer Post 0003 Carteira

Carteira consolidada

Baixe o App Footer Post 0002 historico de Dividendos

Histórico de dividendos

Baixe o App Footer Post 0001 Acompanhamento

Acompanhamento em tempo real

Baixe o App Footer Post 0000 IBOV

Comparação com IBOV, CDI, Dólar e mais