img-tag

Setor de serviços cresce 1,2% em maio e supera nível pré-pandemia, informa IBGE

Em relação a maio de 2020, o crescimento chegou à casa dos 23%, sendo a terceira taxa positiva seguida

Equipe TradeMap
Equipe TradeMap
Compartilhar no twitter
Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no email
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp

Em maio, o volume de serviços avançou 1,2% em relação a abril e superou, pela segunda vez este ano, o nível pré-pandemia, em 0,2%. Os dados fazem parte da Pesquisa Mensal de Serviços (PMS), divulgada nesta terça-feira, 13, pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Com dois meses seguidos de resultados positivos, o setor acumulou alta de 2,5%, ainda insuficiente para recuperar as perdas registradas em março, de -3,4%, mas dá sinais de aquecimento na maior parte dos seus segmentos de atividades, destaca o órgão público.





No ano, o volume de serviços acumula expansão de 7,3% e, nos últimos 12 meses, queda de 2,2%.

Em relação a maio de 2020, o crescimento chegou à casa dos 23%, sendo a terceira taxa positiva seguida e a mais intensa da série histórica iniciada em janeiro de 2012.

Leia também:   Avanço do PIB do G-20 desacelera e Brasil tem um dos piores resultados no 2T21

Os analistas consultados pela Refinitiv esperavam avanço de 1,3% na base mensal e de 22,6% no comparativo anual.

De acordo com o IBGE, em fevereiro deste ano, os serviços chegaram a alcançar um patamar 1,2% acima do verificado em fevereiro de 2020, mês que antecedeu a implementação das primeiras medidas de isolamento social.

“O setor vinha mostrando boa recuperação, mas, em março, com um novo agravamento do número de casos de Covid-19, governadores e prefeitos de diversos locais do país voltaram a adotar medidas mais restritivas, afetando o funcionamento das empresas de serviços”, aponta o gerente da pesquisa, Rodrigo Lobo.

Ele destaca que, a partir de abril e maio, essas medidas começaram a ser relaxadas e, com isso, o setor volta a crescer.





Leia também:   Patamar recorde: vendas no varejo sobem 1,2% em julho, aponta IBGE

Grupos

Das cinco atividades investigadas pela PMS, três tiveram crescimento em maio. Um dos destaques foi o segmento de transportes, serviços auxiliares aos transportes e correio (3,7%), que tem o segundo maior peso no índice geral (32,8 pontos percentuais).

“A expansão nos transportes tem muito a ver com a queda no preço das passagens aéreas, além do aumento da demanda por esse serviço. O transporte aéreo cresceu 60,7% em maio. Além disso, o segmento de armazenagem, serviços auxiliares aos transportes e correio (3,6%), que também compõe a atividade, continua em ascensão, tendo atingido em maio seu patamar mais alto na série histórica da PMS”, afirma Lobo.

Para ler a PMS na íntegra, acesse aqui.

Leia também:   Mercado sobe projeção do IPCA pela 22ª semana seguida, aponta Boletim Focus

Foto: Pixabay

Compartilhe:

Compartilhar no twitter
Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no email
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp

Compartilhe:

Compartilhar no twitter
Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no email
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Baixe o App Footer Post
Baixe o App Footer Post 0003 Carteira

Carteira consolidada

Baixe o App Footer Post 0002 historico de Dividendos

Histórico de dividendos

Baixe o App Footer Post 0001 Acompanhamento

Acompanhamento em tempo real

Baixe o App Footer Post 0000 IBOV

Comparação com IBOV, CDI, Dólar e mais