Monitor do PIB da FGV aponta alta de 1,8% em maio

Em relação a maio de 2020, houve um crescimento de 13,4%

Logo Trademap

Por:

Compartilhar no twitter
Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no email
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp

Por:

A economia brasileira cresceu 1,8% em maio em relação a abril, de acordo com o Monitor do PIB, divulgado pela Fundação Getúlio Vargas (FGV) nesta sexta-feira, 16. Contra maio do ano passado, o indicador registrou uma alta de 13,4%. 

Isso é reflexo do crescimento em todas as atividades econômicas e componentes da demanda. Apesar disso a economia ainda se encontra 0,7% abaixo do nível que detinha em fevereiro de 2020, período anterior ao início da pandemia no país. Esses resultados mostram que ainda há um longo caminho para a retomada mais robusta da economia”, disse Claudio Considera, coordenador do Monitor do PIB-FGV. 

Enquanto isso, no trimestre móvel encerrado em maio, houve retração de 0,9% em relação ao encerrado em fevereiro e aumento de 9,7% ante o mesmo período de 2020.  





Estes dados mostram um cenário melhor que o esperado pelo Banco Central. 

No Índice de Atividade Econômica (IBC-Br) do BC, considerado uma prévia do Produto Interno Bruto (PIB), divulgado nesta quarta-feira, 14, foi reportado um recuo de 0,43% na economia em março em comparação a abril.  

Em termos monetários, estima-se que o PIB no acumulado do ano até maio de 2021, foi de R$ 2,434 trilhões, em valores correntes. 

Na análise desagregada, feita na série trimestral interanual por apresentar uma menor volatilidade do que as taxas mensais e ajustadas sazonalmente, todos os componentes da demanda apresentaram crescimento. 

Consumo das famílias 

De acordo com o estudo, o consumo das famílias reportou um crescimento de 10,1% no trimestre móvel finalizado em maio ante mesmo período do ano passado.  





Apesar de todos os componentes do consumo terem crescido, o destaque ficou para os produtos duráveis (49,8%) e semiduráveis (71,6%). 

“Essas taxas, de certa forma, devolvem as fortes quedas apresentadas em abril e maio de 2020”, apontou a FGV.  

Exportação 

A exportação cresceu 12,3% no trimestre móvel em análise em comparação ao mesmo período de 2020, com todos os componentes registrando crescimento. 

Importação 

A importação apresentou um crescimento elevado de 28,5% no trimestre móvel no comparativo anual, influenciado especialmente pelo crescimento de bens intermediários (38%) e de capital (32,6%).  

Vale destacar que a importação de serviços reportou resultado positivo neste trimestre, de 10%, pela primeira vez desde julho de 2019.  

Formação bruta de capital fixo 

A Formação bruta de capital fixo (FBCF) cresceu 29,3% no trimestre móvel contra mesmo período do ano anterior.  

O principal responsável pela aceleração da taxa de crescimento foi o componente de máquinas e equipamentos, puxado especialmente pelo crescimento de automóveis, caminhões e veículos automotores em geral.  

 Foto: iStock 

Leia também:   BC prevê inflação de 9,22% em 12 meses até novembro, aponta relatório trimestral de inflação

Compartilhe:

Compartilhar no twitter
Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no email
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp

Compartilhe:

Compartilhar no twitter
Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no email
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Baixe o App Footer Post
Baixe o App Footer Post 0003 Carteira

Carteira consolidada

Baixe o App Footer Post 0002 historico de Dividendos

Histórico de dividendos

Baixe o App Footer Post 0001 Acompanhamento

Acompanhamento em tempo real

Baixe o App Footer Post 0000 IBOV

Comparação com IBOV, CDI, Dólar e mais

TradeMap + B3 apresenta! 🤩

Banner Curso Small Caps TradeMap Educa B3 compac