IGP-DI sobe 3,4% em maio e acumula inflação de 36,53% em um ano

De acordo com a FGV, a alta nos preços das commodities pesaram no índice.

Equipe TradeMap

Equipe TradeMap

Compartilhar no twitter
Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no email
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp

Nesta terça-feira, 08, a Fundação Getúlio Vargas (FGV) divulgou os dados do Índice Geral de Preços – Disponibilidade Interna (IGP-DI), que registrou uma alta de 3,40% em maio, valor 1,18% maior do que o registrado em abril, quando acumulou 2,22% no mês.  

Somando o novo resultado, o índice acumula 14,13% de inflação no ano e 36,53% em 12 meses, pressionado principalmente pela alta dos preços ao produtor. 





Em maio de 2020, a variação do IGP-DI foi de 1,07%, com acúmulo de 6,81% de taxas em 12 meses. 

De acordo com a FGV, as maiores pressões do mês vieram das commodities, que estão com os preços nas alturas. Alguns exemplos da variação em maio são: 

  • Minério de ferro (de 4,63% para 17,03%), 
  • Cana-de-açúcar (de 2,75% para 19,30%), e 
  • Café (de 1,23% para 10,65%).

→ Veja a cotação em tempo real das commodities no TradeMap Web

Resultados dos 3 índices que compõem o IGP-DI: 

O Índice de Preços ao Produtor Amplo (IPA-DI), que corresponde por 60% do indicador, avançou 4,20% em maio, ante crescimento de 2,90% em abril. 

“A inflação ao produtor continua sustentando os resultados do IGP-DI em elevação. Nesta edição, entre as maiores influências positivas do IPA, a predominância foi das grandes commodities”, disse o coordenador dos índices de preços, André Braz. 





Por sua vez, o Índice de Preços ao Consumidor (IPC-DI), que responde por 30% do IGP-DI, aumentou 0,81% em maio frente aos 0,23% do mês anterior. 

Entre os destaques de maio ficaram Transporte (-0,13% para 1,48%) e Habitação (0,21% para 1,72%), devido aos aumentos nas tarifas de eletricidade residencial (6,53%), gasolina (2,95%) e etanol (9,06%).

Já no Índice Nacional de Custo da Construção (INCC), com peso 10% na composição do IGP-DI, a variação doi de +2,22% em maio, ante 0,90% em abril.

Os três grupos componentes do índice registraram grandes altas: Materiais e Equipamentos (1,99% para 2,81%), Serviços (0,88% para 1,13%) e Mão de Obra (0,00% para 1,92%).

→ Leia também: O que é inflação e como ela influencia meu bolso? 

Leia também:   Boletim Focus: consenso eleva Selic para 6,50% e inflação para 5,90%

Compartilhe:

Compartilhar no twitter
Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no email
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp