Ibovespa volta a fechar acima dos 118 mil pontos nesta segunda-feira

Enquanto isso, o dólar teve alta de 0,53%, sendo vendido a R$ 5,72

Equipe TradeMap

Equipe TradeMap

Compartilhar no twitter
Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no email
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp

Após a queda do último pregão, Ibovespa, principal indicador da Bolsa de Valores de São Paulo (B3), voltou a fechar acima dos 118 mil pontos nesta segunda-feira, 12. 

No pregão, fechou com alta de 0,97%, a 118.811,74 pontos (sua máxima diária). 





Na mínima do dia, o indicador chegou a 117.660,77 pontos.  

O índice foi influenciado positivamente pela explosão das ações do GPA (PCAR3), que cresceram 9,79%, liderando os ganhos do pregão.  

Nos últimos 12 meses, o preço do papel acumulou elevação de 272%. 

Enquanto isso, o dólar à vista subiu 0,53%, sendo cotado a R$ 5,72.  

Em seu pior momento, a moeda norte-americana atingiu R$ 5,63. 





Pela manhã, a moeda caía em comparação com o real, mas trocou de sinais após a notícia de uma proposta “fura-teto” no governo. 

Nos Estados Unidos, índices recuam conforme os investidores se preparam para o começo da temporada de divulgação dos resultados corporativos e dados de inflação, que acontecerão nesta semana. 

Leia também:   B3 divulga 3ª prévia da carteira teórica do Ibovespa

Com os preços para os consumidores no mês de março e com um leilão de US$ 271 bilhões em Tesouro, a semana pode acabar com a recente calmaria no mercado de títulos. 

Na Ásia, o mau humor predomina após o surgimento de uma nova onda de casos de Covid-19 na Índia, Tailândia e Filipinas., considerando a lentidão no processo de vacinação do continente. 

Além disso, a China informou sobre a baixa eficácia das suas vacinas contra a doença. Agora, o governo cogita misturá-las a fim de torná-las mais eficientes. 

Na Europa, os investidores aguardam o início da temporada de balanços no continente nesta semana, que serão divulgados junto ao relaxamento de medidas restritivas na Inglaterra. 

Assim, salões de cabeleireiro, lojas, academias e atrações ao ar livre poderão voltar a funcionar a partir desta segunda-feira. 

Leia também:   1º ETF brasileiro de criptomoedas estreia na B3 nesta segunda-feira

Principais índices dos EUA recuando

índice S&P 500 fechou com leve queda de 0,15%, aos 4.127 pontos.  





O índice de tecnologia Nasdaq fechou em 13.850 pontos, um recuo de 0,36%.  

Já o Dow Jones caiu 0,16%, a 33.745 pontos.  

Bolsas asiáticas fecham em queda 

O índice japonês Nikkei registrou queda de 0,77% em Tóquio, a 29.538,73 pontos, influenciado pelos resultados trimestrais fracos divulgados pelas empresas. 

Hang Seng caiu 0,86% em Hong Kong, a 28.453,28 pontos. 

Entretanto, o índice sul-coreano Kospi foi exceção e cresceu 0,12% em Seul, a 3.135,59 pontos.  

Na China continental, bolsas fecham em baixa 

Xangai Composto teve forte queda de 1,09%, a 3.412,95 pontos.   

Shenzhen Composto teve a diminuição mais intensa, de 2,13%, a 2.118,89 pontos.   



Na Oceania, a bolsa australiana fecha no negativo pelo segundo pregão seguido.  

Leia também:   Setor privado dos EUA cria 742 mil empregos em abril

Em Sydney, o S&P/ASX 200 diminuiu 0,3%, a 6.974,00 pontos. 

Foto: Rafael Von Zuben

Compartilhe:

Compartilhar no twitter
Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no email
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp