Fed decide manter as taxas de juros e a compra de ativos

Enquanto isso, a projeção da inflação subiu 1 p.p, para 3,4%.

Equipe TradeMap

Equipe TradeMap

Compartilhar no twitter
Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no email
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp

Comitê Federal de Mercado Aberto (Fomc, na sigla em inglês) do Federal Reserve (banco central dos Estados Unidos) decidiu nesta quarta-feira, 16, manter as taxas de juros no país entre 0% e 0,25% e continuou com a compra de ativos de pelo menos US$ 120 bilhões por mês.

“O Comitê decidiu manter a taxa de juros entre zero e 0,25% ao ano e espera que seja apropriado manter essa faixa até que as condições do mercado de trabalho tenham alcançado níveis consistentes com as avaliações do Comitê de emprego máximo e a inflação tenha acelerado para 2% e está a caminho de exceder moderadamente 2% por algum tempo”, afirmou no comunicado.

Entretanto, o Fomc elevou a estimativa para a inflação (medida pelo PCE) em 1 ponto percentual (p.p), de 2,4% para 3,4% neste ano, com o centro do PCE saindo de 2,2% para 3%. 





Enquanto isso, para o próximo ano, a entidade atualizou a projeção para 2,1%, conta os 2% estimados anteriormente. 

taxa de juros sobre excesso de reservas (IEOR, na sigla em inglês) também cresceu, passando de 0,10% para 0,15%, assim como a taxa das operações de recompra reserva, que saiu de zero para 0,055. 

A compra de ativos permanecerá em pelo menos US$ 120 bilhões por mês, sendo US$ 80 bilhões em títulos do Tesouro e US$ 40 bilhões em hipotecas. 

“Essas compras de ativos auxiliam a promover o funcionamento regular do mercado e condições financeiras acomodatícias, apoiando, desse jeito, o fluxo de crédito para famílias e empresas”, complementou. 

Apesar da elevação da projeção da inflação, o Fed manteve o seu discurso, reafirmando que as pressões inflacionárias são “transitórias”. 

Além disso, o comitê ressaltou que a alta nos juros já pode acontecer em 2023, mesmo tendo indicado em março deste ano que não existiriam aumentos até 2024. 





Ibovespa

Com a divulgação, o Ibovespa, principal indicador da Bolsa de Valores brasileira, entrou em queda. 

Às 16h (horário de Brasília), o índice recuava 0,93%, a 128.887,31 pontos. 

Antes da liberação do documento, o indicador reportava leve alta de 0,1%, a 130.246,08 pontos. 

Após o fechamento do pregão desta quarta-feira, o Banco Central brasileiro irá divulgar sua decisão para a taxa básica de juros, a Selic, que atualemnte está em 3,50% ao ano.  

Foto: Deposit Photos

Leia também:   Lucro da Coca-Cola sobe 48% no 2º tri, para US$ 2,59 bilhões

Compartilhe:

Compartilhar no twitter
Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no email
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp