El Salvador terá Bitcoin como moeda oficial

A lei entrará em vigor 90 dias após sua publicação no Diário Oficial, tornando o criptoativo e o dólar as moedas oficiais do país

Equipe TradeMap

Equipe TradeMap

Compartilhar no twitter
Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no email
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp

El Salvador se tornou oficialmente o primeiro país do mundo a utilizar o Bitcoin como moeda legal, conforme informado pelo presidente Nayib Bukele na manhã desta quarta-feira, 09. Assim, a criptomoeda e o dólar serão as moedas oficiais do país. 

O projeto de lei proposto por Bukele, “Lei Bitcoin”foi apresentado aos legisladores na terça-feira por María Luisa Hayem, ministra da Economia, onde recebeu o aval para ser apresentado ao plenário. 





Assim, o texto passou por uma votação do Congresso durante esta madrugada, sendo aprovado com 62 de 84 votos. 

lei passará a vigorar 90 dias após a sua publicação no Diário Oficial. 

“História!” publicou no Twitter o presidente. 

De acordo com um dos artigos da lei, o objetivo é a regulamentação do bitcoin como moeda de curso legal, irrestrito com poder liberatório, ilimitado em qualquer transação. 

Além disso, o uso do criptoativo deverá ser “livre, ilimitado em qualquer transação e a qualquer título de pessoas físicas ou jurídicas públicas ou privadas”, e também será aceito para o pagamento de impostos. 

Vale ressaltar que o Bitcoin não entrará no lugar do dólar, com a taxa de câmbio entre ambos sendo “definida livremente pelo mercado”.  





A mudança ocorre em um país em que 70% dos cidadãos não têm acesso aos serviços financeiros tradicionais, sendo uma das justificativas do governo para a adesão. 

“Para promover o crescimento econômico da nação, é necessário autorizar a circulação de uma moeda digital cujo valor corresponda exclusivamente a critérios de livre mercado, de forma a aumentar a riqueza nacional em benefício do maior número dos habitantes”, diz o documento. 

“O Estado promoverá a formação necessária e mecanismos para que a população tenha acesso às transações.”

Segundo o chefe de estado, o país terá sua própria carteira de Bitcoin, que será desenvolvida pela Strike e será gratuita, mas não será de uso obrigatório. 

O presidente também informou que aqueles que investirem a partir de 3 bitcoins na economia de El Salvador passará a ter cidadania salvadorenha. 

Foto: André François McKenzie

Leia também:   Minério de ferro sobe na China, enquanto petróleo volta a cair

Compartilhe:

Compartilhar no twitter
Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no email
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp