Bolsas internacionais iniciam a semana sinalizando dia de altas

No Brasil, a semana reserva mais depoimentos na CPI da Covid-19 e definição sobre privatização da Eletrobras.

Equipe TradeMap

Equipe TradeMap

Compartilhar no twitter
Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no email
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp

Bolsas asiáticas fecharam em sua maioria no positivo, com exceção da bolsa de Hong Kong. A subida acontece após a divulgação do payroll, na sexta-feira, que veio abaixo do esperado e reforça a expectativa pela manutenção dos estímulos econômicos nos Estados Unidos, principalmente do Fed.

O payroll, ou dados de emprego, no país norte-americano mostraram a criação de 266 mil vagas no mês de abril e reviram os dados de março para baixo, de 916.000 para 770 mil. Analistas tomavam como base os dados de março, antes da revisam, e aguardavam um número na casa do 1 milhão. 





As bolsas europeias e os futuros americanos também sinalizam um dia de altas pelo mesmo motivo.  Com isso, os investidores ficam mais confortáveis com a postura acomodativa do banco central americano. A secretária do Tesouro, Janet Yellen, destaca em seu relatório que a expectativa da retomada da economia será mais longa.

Leia também:   Bolsas mundiais são afetadas por queda das commodities nesta sexta

As commodities, especialmente o petróleo e o minério de ferro, continuam em alta nesta semana, Seus preços refletem os dados de ritmo forte da economia na China, em abril, e o ataque cibernético que forçou o fechamento de um oleoduto importante nos Estados Unidos.

No final de semana um ataque hacker forçou a paralisação do maior duto de transporte de combustível dos Estados Unidos, o Colonial Pipeline, que opera um sistema de 5.500 milhas. 

A empresa afirmou que teve que paralisar o transporte de combustível da Costa do Golfo à área metropolitana de Nova York, após derrubar certos sistemas para conter a ameaça. Ainda não está clara a extensão do ataque ou sua duração.

Leia também:   MP da Eletrobras, Ata do Copom, PIB dos EUA, Inflação e o que mais acompanhar nesta semana

A agenda econômica está bem fraca hoje, direcionando o foco dos investidores em alguns discursos de representantes do Federal Reserve e na preocupação com a inflação, especialmente com os recentes aumentos no preço da energia.





Cenário brasileiro 

No Brasil continua em evidencia os embates políticos, com novos depoimentos na CPI da Covid-19 e a continuidade nas discussões sobre a reforma tributária.

Na parte sanitária, o atraso na vacinação é destaque negativo mundo a fora, mas o Ministério da Saúde informou que começará a distribuir a partir de hoje um lote de 1,12 milhão de doses da Pfizer aos estados, como parte de um contrato que prevê 100 milhões de doses.

Outro ponto importante, a Medida Provisória envolvendo a privatização da Eletrobras (ELET3 / ELET6) deve ser aprovada nesta semana, com o envio do texto da Câmara para o Senado até 17 de maio.

Leia também:   Ministro da Economia pretende tributar dividendos

Por fim, a temporada de resultados do primeiro trimestre terá uma semana cheia, com aproximadamente 90 balanços entre os dias 10 e 14. Vamos lá! 

Compartilhe:

Compartilhar no twitter
Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no email
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp