Bemobi movimenta R$ 1,26 bilhão em oferta pública inicial

As ações da Bemobi vão ser negociadas no Novo Mercado da B3 na próxima quarta-feira, 10, sob o ticker BMOB3

Equipe TradeMap

Equipe TradeMap

Compartilhar no twitter
Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no email
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp

A Bemobi Mobile Tech definiu o preço por ação em sua oferta pública inicial (IPO, na sigla em inglês) a R$ 22, valor perto do teto da faixa indicativa, que ia de R$ 17,60 a R$ 23,10.

De acordo com informações disponibilizadas pela Comissão de Valores Mobiliários (CVM), a operação movimentou cerca de R$ 1,258 bilhão, sendo que, desse montante, R$ 1,09 bilhão faz parte da tranche primária, ou seja, vai direto para o caixa da companhia, enquanto os acionistas da empresa venderam o equivalente a R$ 164,1 milhões.

As ações da Bemobi vão ser negociadas no Novo Mercado da B3 na próxima quarta-feira, 10, sob o ticker BMOB3.





Leia também:   Novas alterações no calendário de IPOs de abril

Em seu prospecto, a companhia afirmou que os recursos do IPO serão destinados para obrigações ligadas à reorganização societária e dividendos referentes a anos anteriores.

Os coordenadores da oferta são BTG Pactual, Morgan Stanley, XP Investimentos e Itaú BBA.

Sobre a Bemobi

A Bemobi é uma companhia focada na distribuição e monetização de apps, games e serviços digitais móveis para países emergentes.

De acordo com seu prospecto, a Bemobi afirma ter serviços integrados e em operação com 70 operadores de telefonia móvel ao redor do mundo.

“Nosso modelo de negócio é baseado em um modelo inovador de assinaturas de custo reduzido no setor de apps, games e serviços digitais, que possui aderência à realidade da maior parte da população brasileira e de outros países emergentes de perfil semelhante. Operamos em um modelo B2B2C em parceria com operadoras de telefonia móvel, viabilizando a cobrança de nossos serviços através do crédito pré-pago e/ou contas pós-pago do serviço de telefonia móvel”, diz.

Nos nove primeiros meses de 2020, a companhia apresentou uma receita de R$ 108,2 milhões, o que representa uma leve queda de 3,3% em relação ao mesmo período de 2019. Já o lucro líquido foi de R$ 28,4 milhões, crescimento de 0,7% na mesma base comparativa.

Leia também:   Bolsas internacionais em recuperação nesta quinta-feira

Foto: Unsplash

Tags:

Compartilhar no twitter
Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no email
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp