BC ressalta que eventual redução da Selic será residual, mostra ata

Banco Central do Brasil

O Banco Central reiterou na manhã desta terça-feira, 23, por meio da ata da última reunião do Comitê de Política Monetária (Copom), que o eventual corte da Selic no futuro será “residual”.

“Neste momento, o Comitê considera que a magnitude do estímulo monetário já implementado parece compatível com os impactos econômicos da pandemia da Covid-19. Para as próximas reuniões, o Comitê vê como apropriado avaliar os impactos da pandemia e do conjunto de medidas de incentivo ao crédito e recomposição de renda, e antevê que um eventual ajuste futuro no grau de estímulo monetário será residual”, informou a autarquia.

Na semana passada, o Copom reduziu a taxa básica de juros em 0,75 ponto percentual, passando de 3% para 2,25% ao ano, o menor nível histórico.

Por outro lado, o BC deixou claro em sua ata que seguirá atento a revisões do cenário econômico e de expectativas de inflação para o horizonte relevante de política monetária.

“O Comitê reconhece que, em vista do cenário básico e do seu balanço de riscos, novas informações sobre a evolução da pandemia, assim como uma diminuição das incertezas no âmbito fiscal, serão essenciais para definir seus próximos passos”, concluiu.

Para ler a ata do Copom na íntegra, clique aqui.

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no twitter
Compartilhar no email
Compartilhar no telegram
Compartilhar no reddit
Compartilhar no whatsapp

Assine a nossa Newsletter!