Ministério da Agricultura suspende exportações de carne bovina para China

A suspensão se deu em função da confirmação de dois casos atípicos de encefalopatia espongiforme bovina (EEB), conhecida como doença da “vaca louca”

MAPA foto de Wilson Dias AB

Foto: Wilson Dias/Agência Brasil

Logo Trademap

Por:

Compartilhe:

Compartilhar no twitter
Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp

Por:

No último sábado, 4, o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA), por meio do Departamento de Inspeção de Produtos de Origem Animal, notificou a suspensão temporária das exportações de carne bovina do Brasil para a China.

A suspensão se deu em função da confirmação de dois casos atípicos de encefalopatia espongiforme bovina (EEB), conhecida como doença da “vaca louca”, nos estados do Mato Grosso e de Minas Gerais.

No entanto, de acordo com a pasta, as exportações para os outros países seguem sem interrupção.

Vale lembrar que o Brasil, desde 2015, não tinha ocorrência de casos de vaca louca, segundo a Organização Mundial de Saúde Animal (OIE), sendo que a doença pode ocorrer de forma espontânea e esporádica em todas as populações de bovinos do mundo.

Leia também:   Governo prevê crescimento acima de 2% no PIB de 2023, mas mercado espera menos de 1%

Algumas companhias já manifestaram, por meio de comunicado ao mercado, suas estratégias para superarem essa fase de bloqueio das exportações para a China.

A Minerva (BEEF3) informou que fará suas exportações para a China através de sua operação no Brasil pelas unidades de Barretos (SP), Palmeiras de Goiás (GO) e Rolim de Moura (RO). Entretanto, a sua subsidiária Athena Foods seguirá atendendo a demanda chinesa por meio de 4 plantas de abate: 3 no Uruguai e 1 na Argentina, sem comprometer o share de mercado e o relacionamento com clientes.

Já a Marfrig (MRFG3) possui, na América do Sul, treze plantas habilitadas para China, sendo que o Brasil conta com sete habilitações, seguido do Uruguai (4) e da Argentina (2).

Leia também:   Mercado volta a elevar previsão de inflação e Selic em 2023, diz boletim Focus

No acumulado dos primeiros seis meses do ano, as exportações brasileiras da Marfrig para o mercado chinês representaram 5,6% da receita líquida consolidada.

Algumas autoridades do setor acreditam que a suspensão das exportações brasileiras possa ser temporária e deverá ser retomada em um curto espaço de tempo.

Entretanto, a notícia é bastante negativa para as empresas de frigoríficos negociadas na Bolsa de Valores de São Paulo (Marfrig, Minerva e JBS), uma vez que a China é um grande demandante de proteína animal.

Compartilhe:

Compartilhar no twitter
Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp

Compartilhe:

Compartilhar no twitter
Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp

BLACK

WEEK

tag
Dias
Horas
Min.
Seg.

Não vá ainda...
Olha só o que tá rolando!

Popup Banner Black Week 3 1