B2W (BTOW3) anuncia aumento de capital em R$ 2,5 bi e ação dispara

B2W - foto de Lavore Móveis

A empresa de comércio eletrônico B2W (BTOW3) anunciou ontem à noite, 19, aos seus acionistas que o conselho administrativo aprovou o aumento de capital social da companhia. Para isso, a plataforma digital emitirá, para subscrição particular, 64.102.565 novas ações ordinárias, todas nominativas e sem valor nominal. O preço por papel será de R$ 39, segundo o informe.

Disparada na Ibovespa

Essa emissão foi recebida, em um primeiro momento, com muito bons olhos pelo mercado. A ação da companhia se valorizou até uma máxima de 5,33% por volta das 11h30, figurando como a principal alta do Ibovespa. Enquanto isso, uma das suas principais concorrentes, o Magazine Luiza (MGLU3) sofreu queda de 4,28%.

Sobre o aumento de capital

“As ações a serem emitidas farão jus, em igualdade de condições com as já existentes, a todos os direitos concedidos a estas, incluindo dividendos, juros sobre o capital próprio e eventuais remunerações de capital que vierem a ser declarados pela companhia após a homologação do aumento de capital”, informa em nota.

De acordo com a B2W, o capital social será aumentado no montante de R$ 2.500.000.035,00. Atualmente, a companhia retém o valor de R$ 5.751.969.431,10 e com a operação passará a ser R$ 8.251.969.466,10, divido em 521.669.247 ações ordinárias.

O aumento de capital tem por objetivo melhorar a estrutura financeira, mantido o compromisso de geração de caixa, permitindo que a empresa siga investindo na plataforma digital e acelerando o seu crescimento. “Desde 2006 [ano em que a empresa foi criada] a companhia vem investindo fortemente nos pilares fundamentais do seu negócio (principalmente tecnologia, logística e distribuição) para fazer frente aos desafios do e-commerce no Brasil”.

O informe ainda revela que os acionistas terão o direito de exercer a preferência na subscrição das novas ações emitidas, na proporção de suas participações no capital da companhia no dia 22 de agosto.

Movimentação da controladora

A Lojas Americanas (LAME4), controladora de 61,5% B2W, comprometeu-se a exercer o direito de preferência para a subscrição das ações, na proporção da sua participação no capital da companhia.

A B2W reportou prejuízo de 127 milhões de reais no segundo trimestre desse ano.

Escrever um comentário