Navegue:
Vendas da Helbor (HBOR3) perdem fôlego nos últimos três meses de 2021

Vendas da Helbor (HBOR3) perdem fôlego nos últimos três meses de 2021

De outubro a dezembro, as vendas realizadas representaram 8,9% dos imóveis que estavam disponíveis

predio construtora helbor

Por:

Compartilhe:

Compartilhar no twitter
Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp

Por:

A incorporadora Helbor, que publicou suas prévias operacionais na noite desta quinta-feira (20), mostrou que terminou o último trimestre do ano passado com o pé no freio. As vendas de imóveis nos empreendimentos nos quais a companhia tem participação tiveram um ritmo menor em relação a igual período do ano anterior.

De outubro a dezembro, as vendas realizadas representaram 8,9% dos imóveis que estavam disponíveis, uma diminuição de 4,7 pontos percentuais em comparação a igual intervalo de 2020. Em relação ao trimestre imediatamente anterior, a queda é ainda maior, de 5,2 p.p.

Nos empreendimentos com participação da Helbor, foram R$ 258,2 milhões em vendas contratadas no quarto trimestre, recuo de 36,9% em comparação a igual período de 2020. Só na parte da Helbor, as vendas somaram R$ 164,1 milhões, baixa de 34,3% em relação aos últimos três meses do ano anterior.

Os lançamentos também foram mais tímidos. O valor geral de vendas — que mede o quanto a companhia pode gerar em receita caso venda todas as unidades dos empreendimentos lançados — somou R$ 359 milhões no quarto trimestre, queda de 17% ante igual período de 2020.

A participação da Helbor nos lançamentos realizados representou 47% nos últimos três meses de 2021, ou R$ 168,6 milhões, uma retração de 34,9% em comparação a igual intervalo do ano anterior.

Com os números do último trimestre, a empresa constatou que os lançamentos do ano todo ficaram abaixo do que havia sido previsto. Todos os empreendimentos lançados somaram R$ 1,513 bilhão em valor geral de vendas, ou 68,8% do mínimo que a empresa estabeleceu como meta.

De acordo com a companhia, a meta não foi atingida porque quatro projetos foram adiados para o primeiro trimestre deste ano, ou por questões legais, como o atraso para a liberação do início das vendas.

Para 2022, diante da alta dos juros, a empresa afirma que seguirá atenta às condições de mercado, “que possam impactar na velocidade das vendas, margem e retorno dos novos projetos para a tomada de decisão sobre os empreendimentos que devem ser lançados ao longo do ano”.

Nesta quinta, a ação da Helbor fechou cotada em alta de 3,55%, a R$ 4,08.

 

 

Compartilhe:

Compartilhar no twitter
Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp

Tags:

Compartilhe:

Compartilhar no twitter
Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp