Navegue:
Sites da Americanas (AMER3) voltam a funcionar e ações sobem

Sites da Americanas (AMER3) voltam a funcionar e ações sobem

Ações da Americanas acumulam queda de 11,65% nos últimos dois dias em meio a receios de que perda de receita afetará resultados

Site da americanas - shutterstock

Foto: Shutterstock

Por:

Compartilhe:

Por:

Os sites da Americanas (AMER3) estão voltando a funcionar após apresentarem problemas no último sábado (19) e terem parado de funcionar no domingo (20). A empresa, no entanto, avisou que a retomada será feita “de forma gradual”. As ações da companhia, porém, reagiram positivamente à notícia e sobem mais de 4%, depois de terem caído mais de 10% nos dois pregões anteriores.

Site da Americanas por volta das 10h (de Brasília)

Foto: Reprodução / Americanas

Site do Submarino por volta das 10h (de Brasília)

Foto: Reprodução / Submarino

Nos últimos dois dias, a ação da Americanas chegou a cair 11,65%, refletindo a preocupação dos investidores com a possibilidade de o problema nos sites da companhia afetar os resultados, visto que 60% das receitas da empresa vêm das vendas no canal online.

Os dados mais recentes sobre os resultados da Americanas, referentes ao terceiro trimestre do ano passado, mostram que a receita bruta da companhia com as vendas no canal digital somou R$ 4,54 bilhões no período, ou uma média de R$ 49,4 milhões por dia. Considerando também as vendas de parceiros que usam os canais digitais da Americanas, este valor sobe a R$ 9,9 bilhões, ou R$ 107 milhões por dia, em média.

A agência de classificação de risco Fitch descartou efeitos negativos na nota de crédito da companhia no curto prazo por causa da indisponibilidade dos sites. No entanto, apontou que o evento pode ter consequências futuras, a depender da severidade e de quanto tempo os sites ficarem fora do ar.

“As vendas online ficaram suspensas nos últimos três dias e existe a possibilidade de algum dano reputacional”, disse a Fitch. “A liquidez da empresa é forte, e pode segurar uma eventual pressão temporária sobre as vendas”, acrescentou.

Na segunda-feira (22), a Americanas disse não haver evidências de comprometimento das bases de dados dos usuários. “A companhia atua com recursos técnicos e especialistas para avaliar a extensão do evento e normalizar com segurança o ambiente de e-commerce o mais rápido possível”, disse a Americanas na ocasião.

Compartilhe:

Compartilhe: