Navegue:
Receita dobra, mas prejuízo da Gol cresce a R$ 2,52 bilhões no 3º trimestre

Receita dobra, mas prejuízo da Gol cresce a R$ 2,52 bilhões no 3º trimestre

Despesas da companhia ainda estão em níveis superiores ao do faturamento

Avião com o logo da Gol
Por:

Compartilhe:

Por:

O prejuízo líquido da GOL Linhas Aéreas aumentou 46,9% no terceiro trimestre em relação ao mesmo período do ano passado, para R$ 2,52 bilhões. A receita operacional líquida da companhia praticamente dobrou no período, para R$ 1,92 bilhão, mas mesmo assim foi insuficiente para cobrir as despesas de R$ 2,68 bilhões, 53,7% maiores em relação ao terceiro trimestre de 2020.

A GOL registrou aumento tanto na receita com o transporte de passageiros (+101,1%, a R$ 1,77 bilhão) quanto no de cargas (+53,9%, a R$ 147,6 milhões) no terceiro trimestre, mas sofreu com o crescimento nas despesas com pessoal (+37,9%, a R$ 504 milhões) e com o combustível de aviação (+112,6%, a R$ 672,5 milhões).

A companhia aérea, no entanto, fez uma avaliação positiva a respeito do resultado dos próximos meses e ressaltou que espera recuperação na demanda por transporte aéreo, conforme a vacinação contra a covid-19 avança. “Vemos crescimento nas vendas até o final do ano, e estamos confiantes de que essa tendência continuará em 2022″, disse o diretor-presidente da GOL, Paulo Kakinoff, no comunicado com os resultados.

As decolagens da GOL cresceram 87,3% no terceiro trimestre em relação ao mesmo período do ano passado, atingindo 53% dos níveis pré-pandêmicos em 2019 – o que a companhia atribuiu ao aumento da taxa de vacinação contra a covid-19. A empresa estima que a demanda por transporte aéreo no quarto trimestre seja 26% maior em relação ao último trimestre do ano passado e 33% maior em relação ao terceiro trimestre deste ano.

“A GOL seguirá ajustando de forma conservadora a sua malha aérea, objetivando manter seus altos índices de ocupação e rentabilidade. A capacidade planejada para o quarto trimestre de 2021 da GOL apresenta aumento de 29% sobre o quarto trimestre de 2020. Para adequar as operações aos patamares atuais de vendas e demanda, a GOL terá no final do período 102 aeronaves em sua malha, que representará 112% da frota média operada no quarto trimestre de 2020 e 36% maior em relação ao terceiro trimestre de 2021”

A GOL prevê encerrar este ano com R$ 3,8 bilhões considerando caixa, contas a receber e depósitos. A dívida líquida ajustada chegar a R$ 15,8 bilhões. A empresa disse também estar adotando medidas para reduzir o consumo líquido de caixa e prevê financiar o crescimento das operações com fluxo de caixa operacional.

A previsão da companhia aérea é de que a receita do programa de fidelidade supere R$ 600 milhões no quarto trimestre e que a receita consolidada no período aumente quase 40% comparada em relação ao mesmo período do ano anterior.

Compartilhe:

Tags:

Compartilhe: