Navegue:
Petróleo cai quase 7% após Ucrânia indicar que aceita discutir exigência da Rússia

Petróleo cai quase 7% após Ucrânia indicar que aceita discutir exigência da Rússia

Preços do petróleo voltam a cair à espera de potencial avanço nas negociações para encerrar conflito entre Rússia e Ucrânia

Campo de petróleo

Foto: Shutterstock

Por:

Compartilhe:

Por:

Os preços do petróleo caem quase 7% com investidores reagindo a declarações do presidente da Ucrânia, Volodymyr Zelensky, que podem abrir caminho para um acordo de paz entre o país e a Rússia.

Por volta das 12h20 (de Brasília), o preço do petróleo tipo Brent – que serve como referência para o mercado internacional – recuava 6,9% no mercado futuro da ICE, a US$ 112,32 o barril.

Segundo a agência de notícias Reuters, Zelensky falou à imprensa russa no domingo (27) e disse que a Ucrânia está aberta a discutir um status de neutralidade em relação à Rússia.

Na prática, isso significa que os ucranianos abdicariam de ingressar na aliança militar da Otan, formada pelos Estados Unidos, Canadá, Reino Unido e vários outros países europeus, entre eles a Alemanha.

A possibilidade de a Ucrânia ingressar na Otan, estendendo a presença da aliança militar até a fronteira da Rússia, foi um dos motivos alegados pelo presidente russo, Vladimir Putin, para justificar a invasão ao território ucraniano.

Zelensky, porém, ressaltou que a Ucrânia recusa-se a discutir uma desmilitarização do país, uma das exigências da Rússia para encerrar a guerra.

O conflito militar entre os dois países deve completar cinco semanas na próxima quinta-feira (31) e serviu de gatilho para um avanço rápido nos preços do petróleo.

A Rússia é um dos maiores exportadores mundiais da commodity e, após invadir a Ucrânia, foi punida pelos Estados Unidos, o Reino Unido e os países da União Europeia com sanções econômicas que dificultam as vendas de petróleo ao exterior.

Neste cenário, o mercado passou a esperar escassez de petróleo e os preços chegaram perto de US$ 139 o barril no início de março, quando investidores acharam que havia chance de um embargo internacional aos produtos exportados pela Rússia.

Este embargo, porém, foi imposto por Estados Unidos e Reino Unido, sem adesão da União Europeia, que é altamente dependente do petróleo e do gás vendidos pelos russos. Isso fez com que os preços do petróleo diminuíssem um pouco, voltando para a faixa dos US$ 120 o barril.

Notícias que indiquem um potencial fim para a guerra entre a Ucrânia e a Rússia, porém, também exercem pressão negativa sobre os preços porque o fim do conflito em tese poderia reduzir a aversão do mercado internacional ao petróleo russo.

Os investidores, no entanto, passaram por pelo menos dois alarmes falsos a respeito de potenciais soluções diplomáticas para o conflito nas últimas semanas. Em ambos os casos, os preços do petróleo caíram durante as negociações entre Rússia e Ucrânia e subiram diante da falta de acordo entre as duas nações.

A última vez em que isso aconteceu foi há duas semanas, quando o valor do barril chegou a recuar para menos de US$ 100. As autoridades diplomáticas da Rússia e da Ucrânia estarão hoje na Turquia para discutir o fim do conflito.

Compartilhe:

Tags:

Compartilhe: