Navegue:
O papel de cada um dos CEOs da PagSeguro (PAGS34), na visão do Goldman Sachs; ação sobe

O papel de cada um dos CEOs da PagSeguro (PAGS34), na visão do Goldman Sachs; ação sobe

Por volta das 16h, a ação da companhia negociada em Nova York subia 6,99%, a R$ 24,79

Divulgacao Facebook PagSeguro

Foto: Divulgação

Por:

Compartilhe:

Por:

A mudança no comando da PagSeguro, anunciada pela companhia na noite desta segunda-feira, dia 10, colocou dois CEOs dividindo a cadeira: Ricardo Dutra, que ocupa o cargo de 2016, e Alexandre Magnani, que até então atuava como COO (Chief Operating Officer, ou COO).

Para os analistas do Goldman Sachs, em relatório distribuído nesta terça-feira, dia 11, a chegada de Magnani permitirá que Dutra se concentre mais em decisões estratégicas, ao lado de Luiz Frias e Eduardo Alcaro, membros do comitê executivo de diretores. Enquanto isso, Magnani, que terá agora o status de co-CEO, será responsável pelo dia a dia dos negócios, espera o Goldman Sachs.

Apesar da nova configuração no topo da pirâmide da instituição financeira, a equipe de analistas acredita que isso não deve representar uma mudança na evolução da estratégia da companhia.

Segundo o anúncio da PagSeguro, os dois executivos comandarão a empresa juntos apenas por um tempo. Dutra seguirá como CEO por um “determinado período”, não especificado no documento. Ele dará suporte a Magnani e vai liderar as apresentações trimestrais da PagSeguro.

Além disso, o novo co-CEO, assim como o CFO e diretor de relações com investidores, Artur Schunck, passarão a reportar ao recém-criado comitê executivo — aquele mesmo com Frias, Alcaro e Dutra.

O comitê executivo tem como objetivo “agir de acordo com e facilitar a consideração pela alta administração e pelo quadro de diretores de certos negócios e estratégias de alto nível”, segundo o comunicado.

As mudanças na estrutura da empresa ocorrem depois de um período crítico: nos últimos 12 meses, as ações companhia negociadas em Nova York (PAGS) perderam 56,15%, enquanto seus BDRs (PAGS34) tiveram desvalorização de 55,29%.

Após o anúncio feito na noite de segunda, o mercado reagiu bem nesta terça. Por volta das 16h, a ação da companhia negociada em Nova York subia 6,99%, a R$ 24,79. A BDR, por sua vez, tinha alta de 8,55%.

O Goldman Sachs é uma das instituições que apostam na valorização da companhia. O banco de investimento tem recomendação de compra para a ação listada nos EUA, com preço-alvo de US$ 60 em 12 meses, o que representa alta de 159% em relação à cotação do fechamento do último pregão.

Compartilhe:

Compartilhe: